proparoxítonas

Todas são acentuadas

Jéssica Parizotto

jéssica parizotto é uma proparoxítona, interessa-se por haicais, músicas pouco conhecidas e jogo de palavras. Queria voar de balão, mas tem medo de altura.

As Virgens Suicidas

Julio Cortázar, em suas instruções para dar corda no relógio, diz que quando alguém lhe dá tal objeto na verdade está lhe oferecendo “um pequeno inferno enfeitado, uma corrente de rosas, um calabouço de ar”, mas para mim essa frase é a mais perfeita definição de adolescência, um período infernal no qual entramos e dificilmente saímos.


The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0136.jpg As Virgens Suicidas (1999) - Sofia Coppola As virgens suicidas, o livro e o filme, é uma ode a esse nosso inferninho portátil. Podemos descobrir milhares de músicas excelentes depois de adultos, mas sempre vamos preferir aquelas que tocaram na nossa adolescência, assistimos a filmes a vida toda, mas os que mais marcaram foram aqueles de terror que assistimos numa sala cheia de gente suando frio e se fazendo de forte, enfim, ser adolescente é nunca se curar do passado que vivemos. The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 3819.jpg

The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 2427.jpg Esse é o mote do livro As Virgens Suicidas. O título, nada sutil, entrega uma história que em momento algum o autor faz questão de esconder, aliás, na primeira linha sabemos o fim dela:

“Na manhã em que a última filha dos Lisbon resolveu que tinha chegado sua hora de se suicidar — foi Mary desta vez, e remédios para dormir, como Therese — os dois paramédicos chegaram à casa sabendo exatamente onde ficava a gaveta de facas, o forno a gás e a viga no porão, na qual era possível atar uma corda.” The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0072.jpg Mas isso desperta ainda mais a curiosidade do leitor, você quer saber o que aconteceu para que cinco meninas de uma família bem estruturada de classe média tenham se matado consecutivamente. Nessa busca por respostas somos guiados por um bando de homens de meia idade que continuam aterrorizados pelos meninos bobalhões que foram na adolescência. Eles eram vizinhos das Lisbon e assistiram sem entender aos suicídios das meninas mais bonitas que eles conheciam. The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0153.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0173.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0176.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0181.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0182.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0187.jpg A narrativa é toda fragmentada em pequenos detalhes que vão tentando formar um todo compreensível em meio ao caos de lembranças, pitacos e invenções. Apesar da história pesada o livro é cativante e delicado. E como se isso não bastasse, Sofia Coppola traduziu em imagens dinâmicas e sons excelentes esse novo clássico da literatura americana. The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 1256.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 1272.jpg O filme foi o primeiro da carreira da diretora, mas não deixa nada a desejar em termos de maturidade. Se você é do tipo que odeia adaptações de obras literárias para o cinema, ou acha que é redundante ler o livro e ver o filme, saiba que estará perdendo a oportunidade de ver materializadas algumas das personagens femininas mais complexas e interessantes da literatura recente.

E se isso não é argumento o suficiente, basta dizer que a irmã mais encantadora da trama foi vivida no filme por Kirsten Dunst. The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0138.jpg The Virgin Suicides (1999) [DVDrip][HQ][h264_liDEL] 0033.jpg Como o caso se passa nos anos 70, a trilha sonora, óbvio, é composta por músicas dessa época. E é um misto de breguice dançante com guitarras melancólicas, ou seja, nada mais adolescente. Parte da trilha sonora do filme Parte da trilha sonora do filme Não posso contar aqui todo o restante da história, as perguntas são muitas ao longo da narrativa, mas o que posso garantir é que, como em todo bom filme, saímos da sessão com mais dúvidas do que certezas.


Jéssica Parizotto

jéssica parizotto é uma proparoxítona, interessa-se por haicais, músicas pouco conhecidas e jogo de palavras. Queria voar de balão, mas tem medo de altura..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/cinema// @destaque, @obvious //Jéssica Parizotto