prótese técnica

Sobre extensões do homem e outras histórias

Gabriel Silva Farias

Gabriel Farias, 21, é estudante de Ciências & Humanidades na Universidade Federal do ABC. Escreve sobre cultura, tecnologia e sociedade.

Um brinde à São Paulo

25 de janeiro de 2014 - entre rolezinhos e congestionamentos, São Paulo comemora 460 anos.


800px-23_de_Maio.jpg

Um brinde à São Paulo dos paulistanos e de outros tantos paulistas, dos nordestinos, dos sulistas, de todo o tipo de gente, de qualquer tipo de cultura ou tribo urbana, dos rolezinhos na porta do shopping, dos cults da Livraria Cultura, do sol nascente da Liberdade e da liberdade e qualquer marcha ou manifestação que começa no MASP e não tem hora nem lugar pra acabar.

Um brinde à São Paulo das fábricas e suas chaminés que colocam veneno no ar que eu respiro, dos escapamentos e da inspeção veicular, do frescor natural do Ibirapuera e também do frescor artifical e dos ares condicionados dos teus prédios altos e imponentes - pequenas prisões nas quais eu me encerro diariamente, diga-se. Um brinde à São Paulo da marginal parada, do rio fétido que corre à esquerda e transborda sazonalmente como quem pede de volta a margem que eu ocupei. Um brinde à São Paulo dos condomínios de luxo naquela extinta Mata Atlântica (ok, nós todos vemos o Brasil, mas, São Paulo, cadê o seu pau?) e também das numerosas favelas que ainda evidenciam todo o seu caos e (des)graça.

Um brinde à São Paulo do Mercadão, das prostitutas da Praça da Luz, do Pátio do Colégio e de uma estátua do Borba Gato que conta um pedaço de sua história. Um brinde à São Paulo do sotaque italiano da Mooca (Faaalla, bellô!) e do moleque travesso, do Corinthians, do Palmeiras e do São Paulo que leva o seu nome, do Outs, do Inferno, do Astronete, dos Mutantes (Hi hi, Johnny; hi hi, Alfredo!) e da Rua Augusta que de fato nunca dorme ou ao menos parece sempre acordada.

Um brinde à São Paulo do bolo de quatrocentos-e-tantos metros e outros tantos quilômetros de congestionamento – que as tuas mulheres, São Paulo, magérrimas evitarão! – e das finais de campeonato no Pacaembu que sempre caem logo no dia do seu aniversário. E acima de tudo, um brinde a esse horizonte paulistano, azulado do céu e alaranjado do sol, ainda que cinzento de fuligem – dane-se, não posso vê-lo por causa dos teus maravilhosos arranha-céus!

Parabéns, São Paulo. Feliz aniversário.


Gabriel Silva Farias

Gabriel Farias, 21, é estudante de Ciências & Humanidades na Universidade Federal do ABC. Escreve sobre cultura, tecnologia e sociedade..
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// //Gabriel Silva Farias