questionando histórias

Pois quem nos move são as nossas perguntas

Leandro Dupré Cardoso

Se você leu até o final eu lhe agradeço. É um bom sinal cujo real caminho desconheço. Mas espero que, afinal, ele te leve a um novo começo.

Análise Mortal

Tome cuidado: qualquer movimento em falso e você pode chamar a atenção. Psiu... Talvez ainda haja uma chance de escapar... Mas não adianta: ele sabe que você está bem aí. Fugir dos seus medos vai apenas aumentar essa macabra bola de neve. É preciso enfrentá-la de frente, pará-la enquanto há tempo. E agora, Fred?


Análise Mortal.jpg

Seja sincero: você tem realmente se dedicado a cumprir da melhor maneira possível as suas atribuições no trabalho, em casa ou com os amigos? Claro, de vez em quando um certo relaxamento é até natural, não dá para oferecer 100% de compromisso o tempo todo. Porém, é justamente quando ficamos do 99% para baixo que aumentamos gradualmente a chance de que algo extremamente ruim possa ocorrer por causa desta falha que mal percebemos. Inclusive alimentar a ira de um espírito atormentado em busca de vingança contra aqueles que mais lhe causassem penúrias em vida. Este será o drama de Fred no livro de terror “Análise Mortal”, de Ângelo Miranda.

Inicialmente, Fred não passa de um paulistano com uma vida bastante comum: trabalha como analista de crédito num banco situado no centro financeiro da cidade, pelos arredores da rua São Bento. Tem uma namorada chamada Cláudia, mas os seus interesses geralmente não saem muito de seu trajeto casa-trabalho e trabalho-casa, tornando-o um homem solitário, apático e até meio soturno. Além de perseguido.

“— Não, meu Deus, não! Eu acabei de ver, ele foi jogado. É ele! É ele! Eu não sei quem é, mas foi ele!” (pág. 26)

Rua_Sao_Bento_com_Alvares_Penteado_.jpg Os prédios do centro velho de São Paulo podem esconder segredos mesmo por seus mais avançados elevadores ou pelos mais rústicos lances de escada...

Era para ser só mais um horário de almoço normal: uma multidão de pessoas se aglomera pelas ruas estreitas da região. Cotoveladas e empurrões viraram verdadeiros hábitos de sobrevivência dentro deste ambiente hostil. Mesmo assim, Fred não evita uma forte trombada repentina que o faz de cair de costas ao chão. O outro atingido, no entanto, não sofre tanto com o impacto apesar de sua aparência: tratava-se de um senhor bastante idoso, de sobretudo preto e cachecol quadriculado. E também de uma língua bastante afiada:

“— Achou que podia fugir de mim? Não adianta correr, aliás, corra realmente a partir de agora para salvar a sua vida e a de quem você gosta. Pensou que passaria ileso pelo que me causaste?” (pág. 10)

Fred não tem a mínima ideia de quem seja essa estranha figura ou o que possa ter feito para provocar a sua raiva. Só sabe que agora já não pode mais viver em paz antes que escape dessa preocupante sina: várias tragédias estranhas começam a se suceder e o analista vê sempre a imagem do tal misterioso idoso estando envolvida em cada uma delas. Ninguém compreende as suas recentes apreensões, pensam que esteja severamente perturbado após tantos desastres juntos com as pessoas mais próximas que possui. Mas Fred tem certeza de que tudo está ocorrendo por causa da mesma apavorante razão.

Corridor_4.jpg Tudo por causa daquela presença que não enxergamos, mas que sabemos estar lá...

Na verdade, o analista percebe que o velho não irá descansar enquanto não alcançar o seu objetivo principal: Fred. E quando a trama parece se encaminhar para uma morte certa do rapaz, Fred consegue talvez o último resquício de esperança para ainda seguir vivo: o espírito precisava de sangue para que sua sede de vingança se aplacasse. Mas não necessariamente do seu...

Num enredo bem amarrado e uma história bastante encharcada de sangue, “Análise Mortal “ aposta na criação de imagens chocantes e detalhes mórbidos que podem mexer com os estômagos dos mais destemidos (literalmente). A atmosfera de terror é constante, talvez até em uma sucessão um pouco rápida demais dado as curtas e intensas páginas da obra.

Mas nada que comprometa o desenvolvimento principal do livro: afinal, será Fred realmente capaz de sacrificar a vida de uma pessoa que não tenha nenhuma relação com o seu problema original para salvar a sua própria pele? Vale a pena conferir. A menos que você seja um analista de crédito. Então eu pensaria dez vezes antes de me aventurar pela tenebrosa São Paulo de Ângelo Miranda.


Leandro Dupré Cardoso

Se você leu até o final eu lhe agradeço. É um bom sinal cujo real caminho desconheço. Mas espero que, afinal, ele te leve a um novo começo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Leandro Dupré Cardoso