Carolina Vila Nova

Brasileira, 41 anos, formada em Tecnologia em Processamento de Dados, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua numa multinacional na área administrativa como profissão. Escritora, colunista e roteirista por paixão. Poliglota. Autora de doze livros publicados de forma independente pelo Amazon, além de quatro roteiros para filme registrados na Biblioteca Nacional. Colunista no próprio site www.carolinavilanova.com e vários outros na internet.
Youtuber no canal Carolina Vila Nova, que tem como objetivo divulgar e falar sobre as matérias do próprio site.


Carolina Vila Nova é autora dos seguintes livros:

"Minha vida na Alemanha" (Autobiografia),
"A dor de Joana" (Romance),
"Carolina nua" (Crônicas),
"Carolina nua outra vez" (Crônicas),
"Vamos vida, me surpreenda!" (Crônicas),
"As várias mortes de Amanda" (Romance),
"O dia em que os gatos andaram de avião" (Infantil),
"O milagre da vida" (Crônicas),
"O beijo que dei em meu pai" (Crônicas),
"Nosso Alzheimer" (Romance) e
"Quero um amor assim" (Crônicas).

Todos disponíveis no site www.amazon.com e www.amazon.com.br
Mais matérias e informações em: www.carolinavilanova.com

Mãe, é sacanagem???

Feliz dia das mães! Exatamente como você é!


mae sacanagem.jpg

O que escrever na véspera de dia das mães? Existe mãe perfeita? Filhos perfeitos? Educação impecável? Pais e filhos que jamais errem?

Sabemos que não existe receita para sermos mães perfeitas. Somos pessoas, trabalhadoras, estudantes e mulheres além de mães. Cada uma com seu jeito de ser. Tem mãe que ama servindo, tem mãe que ama brincando ou sendo amiga, e tem até mãe que ama trabalhando, porque não tem tempo para ficar com seus filhos.

Qual o melhor jeito de ser mãe? A melhor idade? Eu não sei. Mas desconfio que acertei.

Diferente do que vivi, quis dar ao meu filho a chance de ser quem ele quisesse ser. Acreditei que o respeito às suas opiniões e jeito de ser, independente do que isso viesse a ser, valeria mais do que a imposição das minhas ideias e princípios. Acreditei na liberdade de expressão e do simplesmente “ser”. Acreditei que lhe dando liberdade eu teria em troca sua amizade e confiança.

Hoje descobri que estava no mínimo em um bom caminho:

Meu filho não me obedece; pede minha opinião e meus conselhos.

Ele não me critica; me questiona, debate um assunto comigo.

Não me julga; me apoia!

Outro dia estava com o meu laptop nas mãos e perguntei a ele: _”Já leu minha matéria desta semana?”. Meu filho virou seu rosto para mim com um sorriso de canto bem sacana e perguntou: _”É sacanagem?”. Eu dei meu laptop em suas mãos, ao mesmo tempo em que comecei a rir. Ambos rimos gostoso de seu deboche. Mas a maior graça para mim não estava no deboche em si, mas na aceitação de quem eu sou, do que faço e do que penso, além da admiração e respeito que vem junto a isso tudo.

Se não fui para algumas pessoas o que elas esperavam que eu fosse, sei que ao menos sou para aquele que mais me importa. Não porque somos iguais, pois não somos. Mas ele entendeu que podia ser o que quisesse ser, e com isso aprendeu a respeitar qualquer pessoa como ela simplesmente é. O que acabou retornando a mim mesma, como a lei da ação e reação.

O resultado? Não me parabenizo pelo dia das mães. Mas comemoro diariamente por ter em meu filho um grande amigo, fiel, companheiro e cúmplice. De toda uma vida! Porque pra mim, melhor do que ser mãe é conseguir ser amiga daquele que me é o mais caro!

Haverá os que não concordem. Mas aí consiste toda a graça da vida e a razão deste texto: liberdade! Cada um é o que é! E pensa o que pensa! Os que quiserem que possivelmente aprendam uma lição: amor de verdade tem tudo a ver com liberdade!

Feliz dia das mães! Exatamente como você é!


Carolina Vila Nova

Brasileira, 41 anos, formada em Tecnologia em Processamento de Dados, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua numa multinacional na área administrativa como profissão. Escritora, colunista e roteirista por paixão. Poliglota. Autora de doze livros publicados de forma independente pelo Amazon, além de quatro roteiros para filme registrados na Biblioteca Nacional. Colunista no próprio site www.carolinavilanova.com e vários outros na internet. Youtuber no canal Carolina Vila Nova, que tem como objetivo divulgar e falar sobre as matérias do próprio site. Carolina Vila Nova é autora dos seguintes livros: "Minha vida na Alemanha" (Autobiografia), "A dor de Joana" (Romance), "Carolina nua" (Crônicas), "Carolina nua outra vez" (Crônicas), "Vamos vida, me surpreenda!" (Crônicas), "As várias mortes de Amanda" (Romance), "O dia em que os gatos andaram de avião" (Infantil), "O milagre da vida" (Crônicas), "O beijo que dei em meu pai" (Crônicas), "Nosso Alzheimer" (Romance) e "Quero um amor assim" (Crônicas). Todos disponíveis no site www.amazon.com e www.amazon.com.br Mais matérias e informações em: www.carolinavilanova.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @destaque, @obvious //Carolina Vila Nova
Site Meter