Carolina Vila Nova

Brasileira, 41 anos, formada em Tecnologia em Processamento de Dados, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua numa multinacional na área administrativa como profissão. Escritora, colunista e roteirista por paixão. Poliglota. Autora de doze livros publicados de forma independente pelo Amazon, além de quatro roteiros para filme registrados na Biblioteca Nacional. Colunista no próprio site www.carolinavilanova.com e vários outros na internet.
Youtuber no canal Carolina Vila Nova, que tem como objetivo divulgar e falar sobre as matérias do próprio site.


Carolina Vila Nova é autora dos seguintes livros:

"Minha vida na Alemanha" (Autobiografia),
"A dor de Joana" (Romance),
"Carolina nua" (Crônicas),
"Carolina nua outra vez" (Crônicas),
"Vamos vida, me surpreenda!" (Crônicas),
"As várias mortes de Amanda" (Romance),
"O dia em que os gatos andaram de avião" (Infantil),
"O milagre da vida" (Crônicas),
"O beijo que dei em meu pai" (Crônicas),
"Nosso Alzheimer" (Romance) e
"Quero um amor assim" (Crônicas).

Todos disponíveis no site www.amazon.com e www.amazon.com.br
Mais matérias e informações em: www.carolinavilanova.com

Amor, quando é para ser, é fácil

Quando é para ser, simplesmente acontece. É fácil. As almas se reconhecem, se percebem no olhar, na voz, e dali tudo se inicia.


amor quando e para ser2.jpg

Quer saber se o amor que você sente é de verdade ou vai acontecer? Então não faça nada, não gaste energia, porque é assim que o amor acontece. Não exige trabalho, não precisa de encontros forçados, ligações acirradas ou qualquer coisa do tipo.

O amor é uma junção de afinidades, duas almas que se encontram no momento certo, quando ambos estão naturalmente no mesmo nível de energia. A “vibe” é a mesma. Ou seja lá como cada um chama: energia, vibração, espiritualidade, ou o “santo que bate”.

Quando é para ser, simplesmente acontece. É fácil. As almas se reconhecem, se percebem no olhar, na voz, e dali tudo se inicia.

Amor, quando é para ser, é calmo, lento, emite paz e tranquilidade. Passa pelo desejo, mas fica acima dos instintos físicos. Definir o que é o amor verdadeiro é algo delicado, pois vivemos diversas fases na vida. Passamos por relacionamentos que depois percebemos, que não eram tão verdadeiros, quanto o que se conhece mais tarde, com o passar dos anos. Mas vale lembrar que, para cada fase, vivenciamos amores em diferentes níveis.

Há a fase do amor inocente, malicioso, inseguro, ciumento. Com o tempo e maturidade, passamos a vivenciar o amor que se baseia, não em nossas próprias carências e inseguranças, mas no que de fato importa: o amar ao outro como o outro é. É depois da auto aceitação, da descoberta do verdadeiro amor próprio, que se passa vivenciar o amor mais verdadeiro possível.

De fato, vivemos amores que vem com facilidade, daqueles que pensamos: “Era para ser”. Sempre encontraremos pessoas que estarão em nosso mesmo nível de energia, que possuem os mesmos gostos e desgostos, as afinidades e percepções que se assemelham, sendo negativas e positivas. Por isso não precisamos fazer nada, quando um relacionamento já tem tudo para dar certo. Está naquilo que não se vê: nas entrelinhas, no ar, numa única troca de olhar, na pele que arrepia do nada ou o humor que se transforma com a presença do outro (a).

Pode ser que nem todo amor, que venha facilmente, seja tão verdadeiro quanto o que se costuma acreditar que é o verdadeiro amor, mas gosto de pensar que todos os amores de nossas vidas são necessários, um para cada fase.

Há momentos em que se é inseguro, e então, será este tipo de amor, o verdadeiro para mim. Atraímos o que verdadeiramente somos. Ou ainda aquela pessoa que irá nos ensinar as lições que precisamos numa determinada fase.

Até mesmo um amor confuso, cheio de brigas e desacertos pode ser o amor certo para mim num determinado momento, se eu também preciso aprender algumas lições e amadurecer com isto. Nada nesta vida é em vão. E ninguém cruza o nosso caminho por acaso. Atraímos o que somos e as lições que precisamos para nossa própria evolução.

Com o passar dos anos e maturidade adquirida, temos uma melhor noção do que se trata o amor verdadeiro, aquele baseado em liberdade, respeito e aceitação. Até lá, ainda assim, todo relacionamento é válido para o crescimento de cada um.

E fato é que, quando é para ser, simplesmente acontece. Não importa quantas pessoas ou situações atrapalhem. E o contrário também é certo. Se não for para acontecer, pode-se forçar a barra o quanto for: não sai do lugar.

Então se me apaixono, o que faço? Nada. Se for para acontecer, vai acontecer. E se não for, não vai. Todo o Universo conspira a nosso favor, mesmo quando não somos capazes de perceber ou entender. Para um coração apaixonado é difícil simplesmente esperar, então faz se o que tem vontade, mas sem desespero.

Amor de verdade acalma.


Carolina Vila Nova

Brasileira, 41 anos, formada em Tecnologia em Processamento de Dados, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua numa multinacional na área administrativa como profissão. Escritora, colunista e roteirista por paixão. Poliglota. Autora de doze livros publicados de forma independente pelo Amazon, além de quatro roteiros para filme registrados na Biblioteca Nacional. Colunista no próprio site www.carolinavilanova.com e vários outros na internet. Youtuber no canal Carolina Vila Nova, que tem como objetivo divulgar e falar sobre as matérias do próprio site. Carolina Vila Nova é autora dos seguintes livros: "Minha vida na Alemanha" (Autobiografia), "A dor de Joana" (Romance), "Carolina nua" (Crônicas), "Carolina nua outra vez" (Crônicas), "Vamos vida, me surpreenda!" (Crônicas), "As várias mortes de Amanda" (Romance), "O dia em que os gatos andaram de avião" (Infantil), "O milagre da vida" (Crônicas), "O beijo que dei em meu pai" (Crônicas), "Nosso Alzheimer" (Romance) e "Quero um amor assim" (Crônicas). Todos disponíveis no site www.amazon.com e www.amazon.com.br Mais matérias e informações em: www.carolinavilanova.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 9/s/recortes// //Carolina Vila Nova
Site Meter