recanto da desconstrução

Desconstruindo para reconstruir

Bruna Cosenza

Em constante reconstrução e apaixonada por livros, busca se afastar de tudo o que é efêmero e descartável, pois tem uma queda por permanências e pessoas inteiras.

Por que amar é tão difícil?

Afinal, por que um verbo que traduz um sentimento tão bom, é tão complicado?


1.jpg

Durante uma data em que as pessoas costumam festejar, explodir felicidades e compartilhar alegria, me encontrei tão antagônica a tudo isso, que comecei a refletir sobre o sentimento universal que move esse tipo de celebração: o amor.

Parece que quando gostamos de alguém e esse sentimento não é correspondido, nosso mundo desaba. No entanto, acabei me dando conta de algo mais difícil ainda do que isso: o amor correspondido. Por mais que seja um sentimento bom, quando verdadeiro, vem permeado de muitas dificuldades também. São duas pessoas diferentes, que viveram suas vidas até então da forma que consideravam mais conveniente para si mesmas e que, de repente, se deparam com a missão de não agradarem apenas a si próprias, mas a um outro também.

Quem ama e não é correspondido sente uma dor irreperável, eu concordo. No entanto, quem ama e é correspondido também sofre, pois construir uma história com alguém todos os dias exige muito comprometimento e compreensão. E por mais que esse sofrimento seja de certa forma mais ameno, suas doses homeopáticas podem ser muito torturantes.

Hoje considero amar mais difícil do que desamar, pois implica em aceitar, compreender, duvidar, questionar, superar e, muitas vezes, saber esperar. Relacionar-se com alguém ainda me parece um dos grandes mistérios da vida. Nunca sabemos se vai dar certo, mas não queremos perder as esperanças. Nunca brigamos achando que não haverá um amanhã, mas ficamos cansados de tantos desentendimentos. Nunca damos um beijo pensando que será o último, mas sempre guardamos um pouquinho de insegurança.

Afinal, amar é tão difícil porque te retira da sua zona de conforto. Não há mais espaço apenas para o "eu", que agora está acoplado em um grande " nós", te obrigando a lidar com os medos, angústias, receios, alegrias e sonhos de outra pessoa também. E, de certa forma, por mais que seja uma delícia, em alguns momentos pode ser assustador pensar que ao mesmo tempo em que você é um pilar essencial para o outro, também necessita de um apoio que é sim incontrolável, pois ninguém é capaz de segurar um amor.

Como já diziam, o amor é eterno enquanto dura. Hoje ele pode estar aqui e isso é maravilhoso. O amanhã é um enigma que vale a pena ser desvendado se houver coragem o suficiente para deixar seu coração na mão do outro, mesmo sabendo que ele pode ser partido a qualquer momento.

Mais textos aqui.


Bruna Cosenza

Em constante reconstrução e apaixonada por livros, busca se afastar de tudo o que é efêmero e descartável, pois tem uma queda por permanências e pessoas inteiras..
Saiba como escrever na obvious.
version 11/s/recortes// @destaque, @obvious //Bruna Cosenza