renzo mora

Cultura Pop, Pretensão e Água Benta

Renzo Mora

Renzo Mora é escritor e roteirista. Publicou os livros "Cinema Falado"; "Sinatra - O Homem e a Música"; "Fica Frio - Uma Breve História do Cool" e "Frank, Dean & Sammy: 3 Homens e Nenhum Segredo"

Harry e Sally – O Filme Menor Mais Amado do Mundo


when-harry-met-sally-original.jpg

“Harry & Sally - Feitos um Para o Outro” já foi definido pelo crítico Caryn James, do The New York Times, como "um filme muitas vezes engraçado, mas incrivelmente oco". O pior é que ele tem razão.

Não se trata de um filme maior, artisticamente ambicioso. É uma comédia romântica pequena - mas estupidamente bem feita, espetacularmente bem escrita e magistralmente interpretada. Cheryl Lu-Lien Tan, do The Baltimore Sun, saiu em sua defesa: “a comédia romântica de 1989 da roteirista Nora Ephron é o filme “feel-good” quintessencial sobre relacionamentos, que ainda soa verdadeiro...” Ela complementa: “Dentro do gênero da comédia romântica, o filme está entre os melhores e mais populares por uma razão: Ele fala a verdade sobre homens e mulheres. Ele quebrou barreiras ao fazer isso com uma hilariante e brutal honestidade, rara entre suas antecessoras”. Eu, pessoalmente, percebo que as mulheres adoram o filme porque ele é sincero, comovente, inteligente e honesto. Nós, homens, por nossa vez, adoramos a ideia de que as Meg Ryans da vida dão para os Billy Crystals que circulam por aí – e ainda por cima se apaixonam (Na vida real, lamento informar, elas casam com os Dennis Quaids e pulam a cerca com os Russell Crowes – mas cinema é, como dizem, a "suspensão da incredulidade"). E, claro, não atrapalha o fato de Meg Ryan nunca ter aparecido tão bonita na tela. Nem a cidade de Nova York, capturada em um outono esplendoroso. Qualquer que seja a sua razão, o filme segue com seu charme e apelos intactos. A trilha sonora, que vai de Louis Armstrong e Frank Sinatra, tem ainda números novos interpretados por Harry Connick Jr. – uma rara sucessão de acertos musicais.

Billy Crystal acaba de lançar o livro “Still Foolin’ ‘Em”, onde conta um pouco sobre os bastidores da rodagem: “Rob (Reiner) foi o diretor perfeito para este filme, embora às vezes ele fosse também uma ótima plateia. Ele ria muito e arruinava alguns takes, mas em meu coração eu sabia que se tínhamos feito ele rir, é porque estávamos na zona correta... Um dia nós estávamos filmando no Templo de Dardur, no Metropolitam Museum of Art. Eu tinha pensado que quando você começa a se sentir realmente confortável ao lado de alguém, você mostra sua “voz engraçadinha”. Geralmente, é um personagem bobinho que você incorpora em seus “momentos especiais”. Você baixa a guarda e confia que a pessoa vai te ouvir sem te julgar, provavelmente porque vocês estão se apaixonando. É a cena do “pecan-pie”... Foi totalmente improvisada. Em dado momento... Meg chega a olhar para onde Rob estava...

A cena só aconteceu porque Rob estava totalmente aberto para experimentar e Meg é tão talentosa... Na noite anterior à filmagem da cena do orgasmo no Katz’s Deli, Meg estava nervosa quando falamos ao telefone. Depois de muitas de nossas filmagens, nós conversávamos pelo telefone como as personagens faziam... a cena do orgasmo era preocupante porque ela teria que ter um 30 ou 40 vezes naquele dia... a encantadora mãe de Rob estava sentada em uma mesa próxima. Ela é que diria a frase “Eu vou querer o mesmo que ela”. Começamos a ensaiar e Meg pareceu hesitante. O primeiro orgasmo foi mais ou menos, o segundo foi como se estivéssemos casados há 10 anos. Talvez ela estivesse nervosa ao compartilhar seu orgasmo com tanta gente. Rob foi ficando impaciente e pediu para sentar no lugar dela para mostrar o que ele queria. Agora eu estou diante deste cara gordo, suado e barbado... Ele então teve um orgasmo que teria deixado King Kong com inveja. Ele estava gritando “Sim! Sim! Sim!” e batendo na mesa tão forte que os picles e a salada voaram. Quando ele terminou, os artistas ao fundo aplaudiram e Rob me levou para um canto. “Eu errei” ele me confidenciou “Não devia ter feito isso” “Meg vai ficar bem. Eu não acho que você a deixou envergonhada”. “Não é isso” ele disse “Eu acabei de ter um orgasmo diante da minha mãe”. Quando começamos a filmar, Meg foi espetacular. O dia todo com a câmera em cima dela ou de mim, ela teve orgasmos sensacionais. Minhas reações foram melhorando e ficando mais engraçadas na medida em que ela aparecia com mais gritos e gemidos”.

Harry e Sally tem ambições modestas. Mas cada uma delas é plenamente alcançada, resultando em um dos filmes mais delicados, doces e deliciosos já feito.


Renzo Mora

Renzo Mora é escritor e roteirista. Publicou os livros "Cinema Falado"; "Sinatra - O Homem e a Música"; "Fica Frio - Uma Breve História do Cool" e "Frank, Dean & Sammy: 3 Homens e Nenhum Segredo".
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/// @destaque, @obvious //Renzo Mora