renzo mora

Cultura Pop, Pretensão e Água Benta

Renzo Mora

Renzo Mora é escritor e roteirista. Publicou os livros "Cinema Falado"; "Sinatra - O Homem e a Música"; "Fica Frio - Uma Breve História do Cool" e "Frank, Dean & Sammy: 3 Homens e Nenhum Segredo"

Todos os Homens do Presidente e o Preço da Imprensa

Quanto custa uma imprensa livre?


Todosos.png O Washington Post, jornal da capital mais importante do mundo, foi vendido por 250 milhões de dólares para o fundador da Amazon, Jeff Bezos, em 2013. Como observou a colunista da Folha Barbara Gancia, o valor é mais ou menos o de quatro Neymars, jogador que o Barcelona comprou em 2012 por 60 milhões de euros. Bezos não comprou apenas um título. Ele comprou uma história. Uma história feita de muitas histórias. Uma das que Bezos adquiriu começou em 17 de junho de 1972, quando a sede do Comitê Nacional Democrata no complexo de escritórios Watergate, em Washington, DC, foi invadida. Havia uma conexão entre a invasão e a Casa Branca, então ocupada por Richard Nixon. Esta relação foi apontada por veículos como a revista Time, o jornal The New York Times e - principalmente – o The Washington Post. Os repórteres Bob Woodward e Carl Bernstein descobriram um informante que apelidaram de Garganta Profunda, uma homenagem ao filme pornô que então dominava os noticiários. Só em 2005 eles revelaram que o Deep Throat era William Mark Felt, Sr., então nada menos que vice-diretor do FBI. Bernstein - Woodward Washington Post.jpg O FBI montou uma operação para descobrir como os jornalistas estavam levantando as sujeiras do caso Watergate – e Felt avisou Woodward que ele deveria desconfiar de tudo e de todos – especialmente suas linhas telefônicas. A história de dois membros da imprensa que venceram a operação de acobertamento movida pelo homem mais poderoso do planeta está sendo relançada no Brasil. “Todos os Homens do Presidente”, de Bob Woodward e Carl Bernstein, está novamente nas livrarias. Vale a leitura não apenas por ser um relato saboroso, que se lê como um thriller (e que virou filme com Dustin Hoffman e Robert Redford dirigido por Alan J. Pakula). Mas serve principalmente para refletirmos: Em um mundo onde o jornal que derrubou um presidente vale meia dúzia de jogadores de futebol, quem assumirá o papel de quarto poder? Claro, a internet tem liberdade, penetração, capilaridade – e nossa Obvious está aqui para mostrar que existe um novo caminho, participativo e rigorosamente independente. Mas permite também a expansão sem fim de blogs chapa-branca, com patrocínio oficial, fazendo o jogo do governante de plantão e confundindo informação com propaganda (com o irônico agravante de, no caso do Brasil, afirmarem estar lá para contrariar o interesse das elites...). A imprensa tradicional tem algo fundamental: disposição para investir em repórteres que vasculhem a lixeira da história, em trabalhos que podem não levar a lugar algum – o que demanda tempo e (muito) dinheiro. E estes órgãos tem que ter tiragem e anunciantes suficientes para bancar estas apostas. A democracia não se sustenta apenas na imprensa livre. Os veículos têm que ter saúde financeira também, para não virarem reféns da censura econômica.


Renzo Mora

Renzo Mora é escritor e roteirista. Publicou os livros "Cinema Falado"; "Sinatra - O Homem e a Música"; "Fica Frio - Uma Breve História do Cool" e "Frank, Dean & Sammy: 3 Homens e Nenhum Segredo".
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @destaque, @obvious //Renzo Mora