renzo mora

Cultura Pop, Pretensão e Água Benta

Renzo Mora

Renzo Mora é escritor e roteirista. Publicou os livros "Cinema Falado"; "Sinatra - O Homem e a Música"; "Fica Frio - Uma Breve História do Cool" e "Frank, Dean & Sammy: 3 Homens e Nenhum Segredo"

O Maior Adversário de Mike Tyson

Clichês se tornam clichês em parte porque existe alguma verdade neles. Tyson era seu próprio principal adversário. E era complicado enfrentar Tyson – até para ele mesmo. É o que revela sua autobiografia.


MIKE_TYSON__A_VERDADE_NUA_E_CRUA_TYSONN_1400083295P.jpg Desconcertante. Assim é a autobiografia de Mike Tyson, o gigante do boxe. Tyson não faz o menor esforço para se preservar. Ele mostra a si mesmo como um delinquente descontrolado, um viciado em drogas e sexo, racista, degenerado, um arrogante insuportável. Nenhuma biografia não autorizada poderia ser tão cruel com ele quanto suas próprias palavras. O livro – A Verdade Nua e Crua – agora lançado em português e o espetáculo solo protagonizado por ele e levado ao ar pela HBO - Mike Tyson: Undisputed Truth, dirigido por Spike Lee – tratam o lutador com uma crueldade só comparável a que ele reservava para seus adversários no ringue. Quando o veterano técnico Cus D'Amato encontrou aquele delinquente juvenil pré-adolescente, percebeu que ele tinha de sobra o material que faz um campeão. Especialmente em um esporte que coloca o praticante em uma arena para receber socos com o impacto de um atropelamento. Ódio. Tyson odiava todo mundo – e Cus foi habilidoso o suficiente para lapidar este ódio e transformá-lo em preparação psicológica para as lutas. Claro que vale o clichê – e clichês se tornam clichês em parte porque existe alguma verdade neles. Tyson era seu próprio principal adversário. E era complicado enfrentar Tyson – até para ele mesmo. Indisciplina, megalomania, cocaína, bebidas, mulheres – tudo isso conspirou para derrubar o campeão. Tyson tem uma estória de vida extremamente difícil – abandono afetivo, pobreza extrema, pais distantes. Ele foi encontrar disciplina e controle no lugar mais improvável: na cadeia, para onde foi enviado por um estupro que muito possivelmente não cometeu. Ele diz que a prisão o salvou da morte certa. Hoje, como muitos atletas aposentados, Tyson sobrevive como paródia de si mesmo, em comédias ligeiras e no show onde vende sua vida em ritmo de stand up. É a sina dos grandes heróis do esporte. Viram políticos, comentaristas ou piadas. Às vezes, tudo junto. Mas, preste atenção. Mesmo quando parece rir de si mesmo para colocar mais alguns dólares no bolso, o ódio continua lá. Afinal, foi esta a força que o transformou no mais demolidor campeão de boxe – não um príncipe como Muhammad Ali ou um estilista como Eder Jofre. Apenas uma máquina de infligir dor, capaz de arrancar a orelha de um adversário em pleno ringue. Mike Tyson aprendeu a disfarçar o monstro. Mas ele continua lá. É, afinal, o que o move, o que o define. E o que o tornou a lenda que ele agora sobrevive de desconstruir.


Renzo Mora

Renzo Mora é escritor e roteirista. Publicou os livros "Cinema Falado"; "Sinatra - O Homem e a Música"; "Fica Frio - Uma Breve História do Cool" e "Frank, Dean & Sammy: 3 Homens e Nenhum Segredo".
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/literatura// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Renzo Mora