revesgüette

música, cinema e vírgulas

Guilherme Fernandes

go ahead, make my day!

Ouça Charles Bradley!

Música feita com a alma, talhada com dor, sofrimento e esperança. Dois dedinhos de prosa sobre um dos soulman's mais carismáticos da atualidade.


Ouça Charles Bradley!

Poderia acabar o artigo por aqui, mas, é claro, que não irei fazer. Charles Bradley é um daqueles caras que, depois ouvirmos sua música e, de carona, sabermos um pouco de sua história, queremos contar para outras pessoas, para que elas sinta-se tocadas pelos mesmos sentimentos, e assim compartilhem com o resto do mundo um pouquinho dos arrepios gerados pela sua dor.

06-Ouça Charles Bradley!.jpeg

Bradley, ex-morador de rua, hoje é um dos nomes da Daptone Records. Descoberto por Gabriel Roth, co-fundador da gravadora, enquanto trabalhava como imitador de James Brown – aliás, sua influência musical é inegável – Charles já passou por poucas e boas: trabalhou como cozinheiro, se alistou, quase morreu por causa de procedimentos médicos errôneo. Com isso, foi acumulando experiência.

E de sua experiência surgiram às letras. Das letras, em conjunto com a Menahan Street Band, surgiram suas músicas. E dessas músicas surgiu a sua declaração de sofrimento e dor, No Time For Dreaming, primeiro álbum de Charles Bradley.

Você pode dizer qualquer coisa sobre sua música. Menos que ela é desprovida de emoção. Coisa rara nos artistas contemporâneos, Bradley canta com a alma, dando a mesma urgência das situações que narra em seus versos. Tente não se emocionar, escutando Why Is It So Hard. Faça o teste. Você não se arrependerá.

Lançado em 2011, No Time For Dreaming já é um clássico.

E quem pensou que ele pudesse, talvez, se acomodar, errou feio. Bradley já disparou seu segundo álbum, o excelente Victim of Love, lançado este ano. E, se em seu antecessor temos dores profundas sendo transformadas em belas músicas, nesse temos a esperança em seu mais alto grau. Mas não pense que, por tratar de sentimentos bons, suas novas músicas perderam o peso caracterisco de seu vintage soul.

Love Bug Blues que o diga.

Conheci Charles Bradley através de um vídeo enviado por um amigo, que clamava para, assim que eu tivesse um tempo, colocasse-o para tocar e escutasse com a alma, calmo e que deixasse o som tomar conta do ambiente em que estivesse.

Nem era preciso tantas recomendações. A música de Charles Bradley cabe em qualquer ocasião.

Ouça Charles Bradley!


Guilherme Fernandes

go ahead, make my day!.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @destaque, @obvious //Guilherme Fernandes