revesgüette

música, cinema e vírgulas

Guilherme Fernandes

go ahead, make my day!

Assholes will be Assholes

Joel Schumacher é um perfeito exemplar da metáfora da tartaruga no telhado. Um dos poucos casos de pessoas que receberam as maiores oportunidades da indústria cinematográfica e conseguiu cagar todas elas.


8MM 0.jpg

Joel Schumacher é uma anta. Um dos poucos casos de pessoas que receberam as maiores oportunidades da indústria cinematográfica e conseguiu cagar todas elas. A maior delas, a saber, foi receber de bandeja a direção da franquia Batman dos executivos da Warner, cada vez mais assustados com as ideias obscuras e malucas de um Tim Burton cheio de imaginação.

O que veio depois já é conhecido do grande público. “Batman Forever”, em 1995, com Val Kilmer (!?) no papel do homem-morcego e um filme, digamos, família demais para as aventuras do Cavaleiro das Trevas. Quando ninguém achava que a coisa poderia piorar, lá vem Schumacher e me coloca George Clooney como Batman e uma armadura que, por mais bonita que seja, só consegue chamar atenção pelos mamilos de ferro, em 1997, no que foi o último filme da franquia, “Batman and Robin”.

george-clooney.jpg

Joel Schumacher foi responsável por jogar no limbo as adaptações de HQs para a telona durante um bom tempo. Conseguiu com seus dois filmes despertar mais medo em uma indústria já medrosa. Não fosse a Fox, em 2000, apostar em Brian Singer para dar vida aos “X-Men”, talvez não existisse a trilogia dirigida por Chris Nolan, nomeada como a história oficial do homem-morcego.

Ou seja, Schumacher conseguiu, em apenas dois filmes, afundar a franquia Batman, colocar um ponto de interrogação gigante na cabeça dos executivos quanto às adaptações de HQs, apagar da memória recente dos fãs dois filmes magistrais de Tim Burton – que poucos sabem hoje sobre sua história com o morcegão –, e desregular a indústria do entretenimento cinematográfico.

Tudo isso por causa de uma simples armadura com mamilos, certo? Errado.

Joel Schumacher sempre foi um diretor mediano. Medíocre, na melhor das hipóteses. Antes dos Batman's, teve apenas dois lampejos de criatividade com "Os Garotos Perdidos" (1987) e "Um Dia de Fúria" (1993). Filmes estes muito mais centrados no inconsciente cultural de uma geração do que de qualidade refinada e direção precisa. A verdade é que Schumacher sempre foi um diretor frouxo, e tem-se a maior prova disso com seu filme "pós-armaduras-com-mamilos", o medrosamente correto "8 Milímetros" (1999).

8MM 2.jpg

A trama gira em torno de Tom Welles (Nicolas Cage), detetive contratado para investigar a veracidade de um filme pornô encontrado no cofre de um recém-falecido milionário. A viúva, Sra. Christian (Myra Carter), deseja saber se a morte filmada na película é real ou apenas encenação, o que leva Welles para dentro do submundo da pornografia violenta e ilegal, com ajuda de Max Califórnia (Joaquin Phoenix), jovem balconista de uma loja de artigos eróticos, filiado ao sindicato das industrias pornôs.

O que poderia ser um ótimo instrumento para suscitar interessantes debates sobre a pornografia ilegal, filmes "snuff" (pornografia seguida de morte) e o submundo da indústria pornô de baixo orçamento – assim como o ótimo Boogie Nights, lançado dois anos antes – torna-se uma cópia medrosa do clássico absoluto da época, Se7en (1995), com pouco desenvolvimento, nenhum clímax e zero de ousadia. Coincidentemente, o roteirista é o mesmo da pérola de David Fincher, mas nem isso ajuda Joel.

8MM.jpg

Até mesmo o núcleo familiar, formado pela esforçada Catherine Keener (Amy Welles), torna-se um joguete nas mãos de quem não sabe o que faz com uma camera na mão. Não fosse as atuações inspiradas de Cage e Phoenix – esse, ainda um promissor ator coadjuvante – "8mm" poderia ser um filme para reavivar ou sepultar de vez a carreira de um dos mais imbecis diretores da história, quando deveria dar ao mundo a prova cabal de que seus dois Batman's foram apenas deslizes do estúdio.

O filme é correto, mas é muito mais do que apenas um filme correto. É o atestado que Joel Schumacher é um perfeito exemplar da metáfora da tartaruga no telhado.

Mamilos, Schumacher? Oh, shit, Man!

Filme: 8 Milímetros

Título Original: 8mm

EUA, Alemanha, 123', Crime, Drama

Direção: Joel Schumacher

Roteiro: Andrew Kevin Walker

Elenco: Nicolas Cage, Joaquin Phoenix, James Gandolfini, Peter Stormare, Catherine Keener, Amy Morton.


Guilherme Fernandes

go ahead, make my day!.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Guilherme Fernandes