risco

"Prefiro a poesia. Um risco, um rabisco. E, depois disso, a eternidade."

Mariana Martins

Flanêur, escritora, observadora, mochileira, arquiteta-urbanista pela FAU USP. Paulista e Paulistana - com muito orgulho -, com um pezinho na cidade do Porto, Portugal de onde tem muitas saudades. Twitta no le_papillon_m.

pequeno garoto, grande fotógrafo

O fotógrafo que tinha um garoto dentro de si. Ou... o garoto que era fotógrafo.


Se você não conhece, deveria conhecer. Tanto quanto Brassaï, Jacques-Henri Lartigue é um grande mestre da fotografia francesa. Mas melhor que Brassai, sua fotografia é extremamente espontânea, ingênua; é quase uma ironia olhar para ela e pensar que um enquadramento tão inusitado, uma luz tão bem empregada um instinto tão bom para o momento certo de puxar o gatilho sejam mérito de um garoto.

lartigue5.jpg

Sim, era só um garoto. Pertencente a uma família abastada, Lartigue ganhou sua primeira câmera com apenas 7 anos. No ano seguinte ganhou uma Brownie Nº 2, portátil. Lartigue poderia ter se comportado como a maioria das crianças de hoje ao ganharem alguma quinquilharia tecnológica de seus pais de presente de aniversário, mas o fotógrafo dentro dele não permitiu que deixasse a câmera de lado, ou no fundo do armário como o restante de seus brinquedos.

Instintivamente, começou a produzir nas suas férias escolares as imagens que você vê a seguir.

lartigue1_baba.jpg

Somente tendo seu talento reconhecido na velhice, sua primeira importante exposição ocorre no MoMa em 1963, tendo sido descoberto pelos historiadores do museu em 1960.

Aqui você vê o documento do MoMa a respeito de Jaques-Henri Lartigue MOMA_1964_0003_1964-01-09_3.pdf

Estudou pintura na Académie Julian em Paris de 1915 a 1916 e considerou-se por isso sempre um pintor.

Entre as décadas de 1910 e 1920 Lartigue fotografou corridas de carros, as madames da época na praia e nos parques, dentre outras coisas. Mas sua fotografia mais deliciosa de se ver ainda é a da infância, de que as pessoas próximas da família, a babá e os amigos são tema; uma câmera fotográfica não era algo comum e todos se divertiam ao posar para elas.

13g.jpg

lartigue3.jpg

lartigue4.jpg

lartigue6.jpg

lartigue7_Renee-Perle.jpg

lartigue8.jpg

lartigue9.jpg

lartigue10.jpg

lartigue11.jpg

lartigue12.jpg

lartigue16.jpg

lartigue17.jpg

lartigue18.jpg

lartigue22.jpg

lartigue20.jpg

Minha palavra final: esta imagem de Brassaï com Lartigue fazendo palhaçadas, o que ilustra muito bem a leveza com que vivia e fotografava:

lartigue kisses brassai.jpg

Você pode ver mais fotos e informações em http://www.lartigue.org/


Mariana Martins

Flanêur, escritora, observadora, mochileira, arquiteta-urbanista pela FAU USP. Paulista e Paulistana - com muito orgulho -, com um pezinho na cidade do Porto, Portugal de onde tem muitas saudades. Twitta no le_papillon_m..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/fotografia// @destaque, @obvious //Mariana Martins