salada cultural

Misturando cinema, história e música para ver no que dá.

Matheus Bastos

Jornalista, fotógrafo e midiólogo. Politizando a mídia para não midiatizar a política

Capitalismo e Comunismo na China: um debate

Bolsonaro diz que China é capitalista. Nada de muito absurdo, mas com certeza isso é uma confusão de entendimento histórico sobre o que seria a China.

Escrito em parceria com a Regina Leal


bolsonaro china.jpg Bolsonaro e Xi Jinping - AFP

São 70 anos desde a verticalização da chamada Revolução Cultural do Mao. Alguns esquecem de Kissinger e Nixon. Antes da abertura comercial do Deng Xiaoping, já havia uma forma de abertura, pelo menos política posterior a revolução.

A noção de capitalismo, se pensamos em Max Weber, não é algo caro a modernidade ocidental, século XIX e Europa , mas sim a autonomia das cidades.

Era assim como em Veneza, Antuérpia e outras cidades que antes da Idade Média já existiam (como visto no Jacques Le Goff),com o capitalismo financeiro e depois financista. As cidades viraram os centros de informação e dinheiro, guardados nas prefeituras(que foram criadas e funcionavam como bancos).

A China Ming já tinha Zheng He como grande viajante, estabelecendo relações e redes comerciais muito antes da chamada expansão ultramarina europeia, como a de Portugal no Brasil. A invasão japonesa fez com que a China fosse obrigada a apagar essa história que não é só dela, é da própria civilização e do capitalismo e seu desenvolvimento global.

china.jpg Mapa de Zhang He, que já demonstrava a América muito antes de acontecer a expansão ultramarina europeia

Toda a tradição dos mandarins funcionários públicos foi ocultada pelos japoneses, como a história das primeiras prensas móveis do mundo, antes da Europa, ou mesmo a invenção do papel.

Bolsonaro diz que China é capitalista. Nada de muito absurdo, mas com certeza isso é uma confusão de entendimento histórico sobre o que seria a China.

mourão chines.jpg Capa da revista Veja de Abril de 2019, que fez montagem nonsense com o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão(PRTB), como se fosse Mao. A tentativa de associação é completamente equivocada, já que nada tem a ver o tipo de política defendida pelo vice e pelo presidente com o processo político e histórico da China, que se por acaso mantém relações com Brasil ainda em seu governos reacionários é pelo pragmatismo chinês nas relações econômicas que persistem desde antes da modernidade e que compreende que não deve interferir nos assuntos de política interna de outros países

A China comunista de hoje em dia, lida com diplomacia e federalismo com seus territórios mistos, buscando colocar membros da mesma etnia do local para não gerar revoltas, como no Tibete. As grandes cidades, Pequim, Hong Kong(que até 1997 era de domínio Inglês) estimulam esse pensamento sobre ocidentalizado sobre a China, omitindo toda a influência da China na expansão do capitalismo mundial.

Isso porque as cidades vivem uma realidade de relativa autonomia financeira, e claro que são capitalistas. E é por lá que tem o famoso trabalho escravo muito debatido no Ocidente, e não na China Comunista como muitos pensam. Então é essa a contradição chinesa: O capitalismo tem relação com as cidades e com as opressões gerais, mas são reguladas e fiscalizadas pelo governo comunista de maneira sútil e indireta: é esse o pragmatismo chinês, que vale também para os negócios com outros países. A tentativa de colocar a China como um projeto capitalista recente e influenciado pelo capitalismo ocidental da Revolução Industrial, é uma forma mentirosa de falsear que a estabilidade de um local estatal e que não tem golpes, e que desenvolve um crescimento que não pensa apenas no agora, como no Brasil e América Latina, seria apenas reflexo do ocidente, mas não o é, tentando esconder que a dinâmica da economia política chinesa é um dos sustentáculos da democracia mundial. O desenvolvimento Chinês se preocupa não apenas com a China, mas também se preocupa com o mundo, sempre buscando ajudar povos amigos e estabilizar os golpismos do ocidente

bolsomao.jpg Montagem com Bolsonaro e Mao Tse Tung feita por internautas, como forma de ironizar sua declaração de que estava em um país capitalista


Matheus Bastos

Jornalista, fotógrafo e midiólogo. Politizando a mídia para não midiatizar a política.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Matheus Bastos