shine on you crazy diamond...

"Nobody knows where you are, how near or how far..."

Laís Locatelli

De alma cigana, de curiosidade espontanea...Uma leitora incansável que crê no ser humano: somos bons e maus. Isso é ser completo.

“Todos os homens, por natureza, desejam saber.” Aristóteles.

A ciência como uma só...era assim que Aristóteles compreendia todas as coisas do mundo. Ensinava sobre tudo, multidisciplinarmente. Mas essa não é uma coluna sobre Aristóteles: É sobre a arte de dar um passo para trás e ver a grande figura.


Bem...começo por lhes confessar que sou uma pupila do mestre Aristóteles: vejo a ciência como uma só. Por isso não se surpreenda se começar a ler sobre uma coisa e terminar a ler sobre outra....e entre o início e o fim da coluna encontrar coisas distintas no meio... viagens, culturas, espetáculos, direito, psicanálise....onde os temas se encontram, interagem, se misturam, e nos convidam a refletir ou sorrir, pensar ou sonhar...

berlin6.jpg

Parto da premissa do conhecimento livre e amplo para chegar ao pólo contrário. Tive um grande mestre que amavelmente se referia aos professores e alunos de cartilha, massificados, como pastéis. São ou virão a ser os especialistas super especializados em alguma pequena partícula do conhecimento. São os professores pastéis, os profissionais pastéis...nada contra os pastéis...eles ajudam a impulsionar a ciência. Mas, apesar da ciência, há um mundo ali fora, quando se cruza a porta e encontra o mundo como mundo, como um todo.

Para os pastéis eu costumo usar outra expressão: “ignorante especializado”. Parece um paradoxo, uma contradição lógica, por eles saberem muito sobre alguma coisa. Mas não é. Ignorante é quem ignora alguma coisa. E um super especialista que ignora o que não fizer parte da sua partícula torna-se, sim, um ignorante especializado, vivendo em seu microcosmos.

berlin7.jpg

Tudo bem viver ali, não há problemas. Haverá se alguém tentar entrar no mundinho dele ou se ele decidir, um dia, sair de lá. Porque vai encontrar um mundo de surpresas. Thomas Henry brilhantemente diz: "Try to learn something about everything and everything about something" (Tente aprender alguma coisa sobre tudo e tudo sobre alguma coisa). Ou seja, um certo equilíbrio gerador de diálogo, de conversas de boteco, de reuniões de família, de carnaval, de encontros sociais, políticos...Quem se esquece de cuidar desse detalhe corre o risco de se engessar socialmente.

Acredito que a ciência está se reinventando ao mesmo tempo que nossos super especialistas descobrem curas, genomas, partículas...vendo-a como uma só. Como Aristóteles. Vendo o específico dentro do geral, do contexto todo. O que Nietzsche descrevia como "dar um passo para trás e ver a grande figura".

Como professora de Direito conheci alunos brilhantes, me tornei amiga de alguns, e também conheci alunos que se preparam para ser ignorantes especializados, que nem mesmo sabem a estrutura do continente vizinho...nem a moeda, nem idéia sobre política e economia...nem mesmo a história do Brasil! Não interferindo no Código Civil Brasileiro e no preço da cerveja, não interessa. “Ah, professora, mas isso não interessa” Penso que o conhecimento sempre interessa....em todas as áreas...cultura geral interessa sim!

Você, leitor, você que quer conhecer, que deseja interagir...faça-me companhia! Até a próxima!


Laís Locatelli

De alma cigana, de curiosidade espontanea...Uma leitora incansável que crê no ser humano: somos bons e maus. Isso é ser completo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/Apresentaçao// //Laís Locatelli