shine on you crazy diamond...

"Nobody knows where you are, how near or how far..."

Laís Locatelli

De alma cigana, de curiosidade espontanea...Uma leitora incansável que crê no ser humano: somos bons e maus. Isso é ser completo.

Every time


Every time you close your eyes: Lies lies

(Cada vez que você fecha os seus olhos: Mentiras, mentiras)

Perguntei-me por dias o que me prendia nessa canção do Arcade Fire - Rebellion (lies) - que ia e voltava num constante desequilibrante da minha mente.

Uma identificação, só pode. Estar ali dentro, como se fosse eu, como se fizesse parte de mim. Será mesmo que sempre nos mentem? Sem filosofia, sem pretensão de ser profunda. Vou apostar na superficialidade: nela também estão as respostas, esfregando-se num corpo a corpo com as nossas perguntas.

Apontar a realidade como um perigo é a verdade universal da criança: Scare your son, scare your daughter (Assuste seu filho, assuste sua filha). Medos enraizados e culpas polidamente trabalhadas. Um bom menino, assustado, não passa do portão do limite que os pais e o resto do mundo lhe deram. Até que na realidade não pode mais se sentir livre. E vai tentar escapar dela, nem que seja de vez em quando.

oculos loucura.jpg

Então vem a segunda fase de ensinamentos: People say that your dreams are the only things that save you / Come on baby in our dreams we can live our misbehavior (As pessoas dizem que seus sonhos são as únicas coisas que te salvam / Vamos, baby, nos nossos sonhos podemos viver nosso mau comportamento).

Previsivelmente e invisivelmente, se a realidade é medo e culpa, só os sonhos podem nos tirar desse mundo cruel. “Sonhe, um homem sem sonhos não é nada”, esse é o clichê da moda. E um homem sem realidade, é alguma coisa? Vamos Baby, estamos salvos nos nossos sonhos. Lá podemos ser mal comportados sem estarmos sendo arrastados pela culpa. Um sonho pode ser o espaço que está entre a realidade e a alucinação: uma droga, uma bebida, um ácido, uma champagne, uma esquizofrenia ou um bom livro.

lsd.jpg

Depois questionam porque nós, frutos de uma geração massivamente doutrinada, podemos surtar e ir tão além da normalidade. Seja em um sonho ou em uma alucinação, precisamos desse espaço: liberdade sem culpa.

Um lugar impossível de encontrar enquanto estamos sãos e conscientes.


Laís Locatelli

De alma cigana, de curiosidade espontanea...Uma leitora incansável que crê no ser humano: somos bons e maus. Isso é ser completo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// //Laís Locatelli