Ilana Sancovschi

sou arquiteta e artista visual, sou movida por histórias, memórias e identidades...

Arquitetura Para o Futuro

O prêmio Aga Khan, criado em 1977, foi estabelecido para eleger os melhores projetos arquitetônicos dentro do campo das necessidades e aspirações de comunidades com maioria mulçumana.


Semana passada, dia 30 de abril foi divulgada a lista dos 20 projetos que estão concorrendo ao Premio Aga Khan. O Premio foi criado pela Fundaçao Aga Khan, que promove o desenvolvimento cultural, educacional e econômico em comunidades de maioria mulçumana. O interessante deste prêmio é que ele envolve em suas premissas, o envolvimento com a comunidade, além da qualidade do design e também é a conservação de espaços históricos, habitação social, design paisagístico, melhoria do meio ambiente. Enfim melhoria da qualidade de vida prezando a comunidade suas aspirações é o que vemos nos projetos destacados pelo prêmio, e que muitas vezes estão inseridos em comunidades que localizam-se em lugares de muita precariedade ou problemas socio-políticos.

Vamos perceber nestes 20 projetos, é que apesar de estarem situados em países de características bastante distintas, como por exemplo Austria e Iemen, é que se destacam por terem em suas origens conceituais e fundamentais referenciadas em características e identidades de cada comunidade que os abrigam e ao mesmo tempo da comunidade mulçumana como um todo.

Seguem abaixo os 20 projetos classificados para o prêmio: Maria Grazia Cutuli Primary School, Afeganistão

Herat_03.jpg

Construída em homenagem a jornalista italiana Maria Grazia Cutuli, morta no Afeganistão em 2001. O projeto se apresenta como uma forma alternativa para as escolas de emergência para as áreas de guerra. Ela foi construída de forma a se assemelhar a uma aldeia, com um muro fronteiriço. A estrutura é pintada de azul remetendo tons do pigmento Lapis Lazuli, muito usado na cerâmica local e na cultura mulçumana.

Apartment No. 1, Irã

Mahallat_01.jpg

Construido com refugo do corte de pedras locais o edifício possui uma qualidade estética e de conforto ambiental que envolve o morador ao espaço construído.

Hassan II Bridge, Marrocos

Bridge_04.jpg

Ligando as cidades de Rabah e Salé para formar um núcleo urbano, a ponte foi construída de forma a pensar todo o espaço urbano do entorno existente. Utilizando um concreto de alta performance e com a mão de obra e tecnologia que se disponibilizava no local foi possível criar uma ponte com desenhos incríveis e com uma horizontalidade que contrapõe a única torre vertical que se pode ver ao horizonte, a torre Hassan construída no sec.XII.

Islamic Cemetery, Austria

Altach_01.jpg

Servindo Vorarlberg, a cidade mais industrializada e ocidental da Áustria, o cemitério foi construído como uma demanda da comunidade mulçumana local. Inspirado no jardim primordial, o cemitério foi construído de forma a ser um espaço introspectivo como as construções mulçumanas, sempre com pátios internos. O cenário alpino figura em seu exterior enquanto treliças e grafias islâmicas figuram em seu interior.

Kantana Film and Animation Institute, Tailandia

Kantana_04.jpg

Construida com tijolos artesanais feitos a mão, a construção recebe a energia de cada pessoa que participou deste trabalho. O edifício possui uma ligação forte com a natureza e com as raízes do local. Pode-se perceber que ele é um convite para a introspecção e estudo

Mapungubwe Interpretation Centre, Africa do Sul

Mapungubwe_03.jpg

Este projeto é bastante característico por se tratar de um projeto situado em um local bastante natural.O arquiteto busca se aproveitar desta característica do sítio e se utiliza tanto de formas quanto de materiais provenientes do local e praticamente mimetiza o projeto no espaço.

Lycée Français Charles de Gaulle, Siria

Damascus_01.jpg

O projeto desta escola se destaca principalmente pelo seu primoroso sistema de ventilação natural que se tronou muito eficiente mesmo em um clima desértico como o da Siria.

Mohammed VI Football Academy, Marrocos

Football Academy_08.jpg

Desenhado como uma aldeia, com prédios se fechando entre si e formando pátios internos o projeto do Mohammed Academy possui um aspecto introspectivo e visa uma vivência coletiva dos jovens que frequentam o espaço. O Patio central ajardinado foi projetada para o relaxamento e suas cores remetem ao Marrocos.

Museum of Handcraft Paper, China

Museum_02.jpg

Construido em um formato de uma minialdeia, o museu usa materiais naturais do local e muito ligados a cultura local também. O Bambu, a pedra vulcânica e o próprio papel é usado na sua construção. O espaço é divido em salas de atividades e exposição e sala de chá, onde o visitante pode desfrutar do local percebendo também a ligação do espaço com a natureza.

Post-Tsunami Housing, Sri-Lanka

Kirinda_02.jpg

Este projeto para reconstrução de 100 casas de um vilarejo de pescadores mulçumanos que sofreram com o Tsunami, objetiva a adaptação ao clima e utilização de materiais locais fazendo com que o lucro reverta para a comunidade. Outra característica do projeto foi atender um pedido dos moradores que solicitavam que as cozinhas e banheiros deveriam entrar para dentro das casas, e isto foi feito.

Preservation of the Mbaru Niang, Indonésia

Mbaru Niang_02.jpg

Este é um projeto de reconstituição da memória e da identidade desta aldeia remota na indonésia. Um grupo de jovens arquitetos, em uma viagem encontrou quatro dos últimos exeplares das “casas cônicas” dois precisavam de reparos, porém os moradores da vila, já não sabiam mais as técnicas de construção que antes eram passadas de pai para filho. As casas, símbolo da cultura, da comunidade, da união da aldeia estavam literamente dispedaçadas, assim como a identidade desta aldeia. Os arquitetos que ali estavam facilitaram o avivamento das técnicas com a ajuda da comunidade, o que resgatou a identidade e cultura da mesma. As casas foram reconstruídas e foi aberto um projeto de conservação anual da aldeia.

Preservation of Sacred and Collective Oasis Sites, Marrocos

Oasis_06.jpg

Neste projeto é feito o uso de técnicas e materiais tradicionais de forma a buscar a valorização da preservação do valor histórico e das raízes locais.

Rehabilitation of Nagaur Fort, India

Nagaur_04.jpg

Um dos primeiros redutos mulçumanos, construídos no sec XII, alterada dezenas de vezes, este projeto é uma busca da identidade primária do local usando materiais e técnicas tradicionais fazendo justamente uma reabilitação não somente da construção como também do uso dos espaços. Um dos pontos principais do projetos foi a descoberta de um incrivel sistema de águas com 90 chafarizes no interior dos jardins do edifício.

Rehabilitation of Tabriz Bazaar, Irã

Tabriz_02.jpg

Listado como patrimônio histórico mundial, em 2010 o bazaar tabriz sofreu uma rehabilitaçao ao longo dos anos desde 2000. Este projeto que resgata técnicas e envolve a comunidade local, donos das vendas e frequentadores do bazar foi de extrema importância para o resgate do patrimônio material e imaterial do local.

Revitalisation of Birzeit Historic Centre, Palestina

Birzeit_01 - Copy.jpg

Trasformar a decadente cidade de Birzeit local contemporâneo com características da identidade histórica palestina e referências tradicionais foi um trabalho projetual que envolveu toda a comunidade, moradores, proprietários, arquitetos, urbanistas, ONGs , setor publico e privado.

Reconstruction of Nahr el-Bared Refugee Camp, Libano

Nahr el-Bared_04.jpg

O grande desafio deste projeto foi criar areas livres e de convivencia além de expandir áreas habitáveis em um espaço já bastante adensado.A populaçao residente foi totalmente envolvida no projeto, como vemos na foto acima.

Salam Cardiac Surgery Centre, Sudão

Salam centre_06.jpg

No Projeto deste hospital vemos mais uma vez a organização de pátios e grandes espelhos d’água, referências locais. O uso de materiais recicláveis e comuns no local foi bastante difundido no projeto, como os painéis que cortam a insolação. A ventilação natural também é outro ponto forte no projeto assim como o uso de energia solar.

The Met Tower, Tailandia

The Met_04.jpg

Um projeto audacioso de um edifício recidencial, uma torre de 66 andares. O ponto forte dele é possuir uma ventilação cruzada onde os moradores dizem não ser necessário o uso de ar condicionado. O Edificio ainda possui áreas nos andares para uma convivência coletiva, garagem. E usa referencias da arquitetura tailandesa em sua construção.

Thula Fort Restoration, Iemen

Thula_06.jpg

Por ser ameaçado pela construção de uma estrada em suas proximidades, o forte de Thula, recebeu um auxilio do Fundo Social para o Desenvolvimento, que vem realizado projetos de preservação histórica. Com isso, o Forte de Thula conhecido pelos seus artefatos do período de Sabá está sendo recuperado trazendo novas perspectivas para a comunidade.

Umubano Primary School, Ruanda

Umubano_03.jpg

O projeto desta escola foi feito de forma a aproveitar o terreno, aproveitar as técnicas e materiais locais, além de trazer conforto para os usuários do espaço. Desta forma quando vemos um aluno falando sobre o lugar vemos o quando ele esta envolvido com o espaço e quanto o espaço se envolve com ele.

Para conhecerem melhor o Prêmio e os projetos escolhidos: www.akdn.org

Todas as fotos usadas pertencem ao site da fundação Aga Khan.


Ilana Sancovschi

sou arquiteta e artista visual, sou movida por histórias, memórias e identidades....
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/arquitetura// @destaque, @obvious //Ilana Sancovschi