Gilsara Mattos

Gilsara Mattos é escritora, roteirista, palestrante, publicitária e empresária.

Amor? O que é isso mesmo?

Precisamos nos alimentar do fruto do amor. Mas cultivamos espinhos.


lotte-meijer.jpg (Foto: Lotte Meijer)

Todos sonham com o amor verdadeiro, aquele que permanece, que sustenta, alegra, nos faz sentir incríveis a vida inteira e o tempo todo, como estar nadando em mel, em delícias sem fim, inebriantes, fortificadoras.

ben-white.jpg (Foto: Ben White)

E então quando ele "acaba" a dor é tão grande que nos sentimos imensamente assustados e o vazio que ele deixa é exatamente do tamanho do mundo perfeito que ele foi capaz de criar em nós.

O que? Ele acaba? Como acaba? Que papo é esse? Eu sabia que amor não era eterno!! Amor não é eterno nada! Ele é uma ilusão, uma tremenda enganação!! Amar? Pra que? Amar faz sofrer!!!

Mas como um amor pode acabar se ele é eterno?

"O amor como toda semente, precisa ser cultivado. E esse é o trabalho que todos pensam que não precisam ter. Mas como se faz? Como cultivar o amor que é tão bom de sentir? Ele já não vem pronto?

Digamos que ele é uma farinha de raríssima qualidade e de rendimento assustadoramente infinito. É aí que deduzimos que estamos feitos. Estamos, mas agora, teremos que arregaçar as mangas e fazer bolos, pães, panquecas, etc. O caso é que você ganha o amor e se casa. E depois você tem que trabalhar esse amor. Dar flores, presentes, e elogios, não vai dar nem para o começo. Como eu disse, o casamento é o relacionamento 24h e isso significa que a vida prática vai estar presente no dia a dia de quem se casa. E isso revela nossa verdadeira personalidade e todas as nossas imperfeições que não conseguiremos disfarçar. Poucos passam dessa fase porque tem aí o desmoronamento do encantamento de perfeição que criaram um do outro." Trecho do livro "Vivendo, Aprendendo e... Comentando"

ben-white 2.jpg (Foto: Ben White)

O fato é que temos deixado o amor de lado. E queremos que ele faça todo o trabalho sozinho. Isso é o equivalente a comer o que quiser, contando que não vai engordar, comprar e não precisar pagar, sujar e não precisar limpar, usar e acreditar que não vai gastar.

O amor não acaba. E não é o amor que faz sofrer, é o desamor. Afinal quando ele chega nos faz sentir afortunados, e quando vai, nos faz sentir miseráveis.

O amor é um sentimento indestrutível, inabalável, eterno.

Sim. Ele é. Mas nós não.

O amor é perfeito. Nós não.

E nós somos o lugar, o recipiente onde ele vai estar.

Então é como colocar um conteúdo perfeito em um recipiente imperfeito.

Daí é claro que se você não arrumar esse recipiente ele vai literalmente não conseguir comportá-lo.

O amor é maravilhoso. Impressionante. Capaz de ter dar forças para realizar proezas. Mas nós é que vamos ter que movê-las. Ele dá a força. Mas nós é que teremos que usá-la.

hernan-sanchez.jpg (Foto: Hernan Sanchez)

Digamos que o amor seja como aquele sentimento que você tem quando ganha aquele sapato daquele super design ou um carro, ou uma moto, que você sempre quis.

Então você fica em êxtase.

Calça o sapato, monta na moto, e vai curtir.

Mas o sapato não gastará? Se você pular com ele na lama não vai estragá-lo? A moto pode ser dirigida de qualquer maneira? Pode receber combustível diferente de sua fabricação?

Da mesma forma, temos que cuidar do amor. Ele é uma joia muito mais preciosa que o diamante.

still-miracle.jpg (Foto: Still Miracle)

Mas ele precisa ser cuidado.

amanda-jordan.jpg (Foto: Amanda Jordan)

No entanto, como ele é uma semente dada às duas pessoas envolvidas, ambas terão que cuidar.

É como em uma sociedade. E o amor, é a empresa.

Não de pode tirar dinheiro de uma empresa sem trabalhar para que ela produza esse dinheiro. E também é injusto que apenas uma das partes trabalhe.

Há formas de impedir a falência do amor.

Vou colocar aqui 03 dos tópicos que falo em meu livro:

1) Preste atenção às reclamações

Tende-se a ficar ofendido quando alguém aponta uma falha em nós e a tendência é agredir "de volta" como se a reclamação fosse uma agressão. Mas tente ver a reclamação como uma informação. Afinal, a pessoa que está conosco, nesse departamento tão íntimo, terá a chance de nos conhecer de verdade, e vai apontar caracteristicas de nosso comportamento que nós podemos não conhecer, muitas vezes por não nos conhecermos o suficiente, ou nunca ter compartilhado esse canto com ninguém, então, não tê-lo arrumado para receber hóspedes, vai causar comentários de quem o está utilizando. Mas muitas vezes, mesmo tendo preparado com zelo esse nosso espaço pode não ser compatível com a definição de conforto com quem vai usá-lo. Portanto, não leve a mal os comentários sobre você, apenas escute e veja se vale a pena mudar todo essa parte de você para acomodar esse hóspede, ou não. Nesse caso, ele é que vai ter que sair. E está ok! Não fique se achando insuficiente porque não agradou esse ou aquele pois há muitos "esses" e "aqueles" e um deles será seu par ideal.

Mas sempre ouça. Lembre-se que o cliente pode não ter sempre razão, mas pode fazer você melhorar e muito o seu produto, se ele tiver razão, e nesse caso, o produto é você, pois é em você que está o amor que você está oferecendo a ele, para que entre todos os outros, escolha o seu.

É comum dizer que a pessoa gostava de você do jeito que você era, e agora, de repente, não gosta mais.

Mas na verdade, não é isso o que acontece.

É possível amar o outro quando estamos nos relacionando de forma mais social, ou seja, mais superficial, mas quando a trazemos para casa é que vamos conhecê-lo verdadeiramente.

Imagine-se como uma casa. Acontece da mesma forma. A sala de visitas é para o começo, onde você serve cafezinhos, biscoitinhos e uns drinks. Tudo são risos.

Depois, pelo andar da carrugame a pessoa é convidada à sala de estar, e se for agradando, vai ter acesso à cozinha, ao quarto, e com ele ao banheiro da suíte ao invés do banheiro social.

Da mesma forma, deixar alguém transitar tão intimamente em nossa casa pode nos deixar desconfortáveis, pois é aí que a conheceremos realmente. E podemos não agradar dela e ela de nós. É um fato, e é preciso respeitar o direito dela também de não gostar.

A pressa de hoje em dia, vivida na vida real a modelo da vida digital, está embananando as coisas.

A pessoa mal chegou ao portão de sua casa e você, por tanta euforia, já a joga em cima da cama e decide que ela tem que fazer tudo conforme você gosta porque se deram tão bem lá fora.

Entende?

Para tudo é preciso um tempo.

Outro dia mesmo, as pessoas namoravam, noivavam e só depois se casavam.

Hoje elas nem namoram, já têm filhos, muitas vezes sem nem mesmo se casarem, então é de se esperar que a decepção, é claro, chegue também.

E o amor é que é o responsável pelo sofrimento? Não. É a pressa.

A pressa é inimiga da perfeição. Se o amor é perfeito, a pressa é inimiga do amor.

A pressa é amiga apenas do sexo casual, superficial, faminto, animalesco, vazio, efêmero, brusco. Não do amor.

Por isso existe a expressão "fazer amor" e a "fazer sexo".

Se você apenas transa, está ok. Mas não vá esperar mais que isso. Não há. "Foi só sexo".

Quem procura o amor deve oferecer amor e saber identificá-lo em quem diz oferecê-lo, antes de aceitar.

Portanto, se ao trazer alguém, que disse amar você, para sua casa interior, e se deparar com um coportamento diferente do anterior ou do prometido, fazendo você questionar a pessoa, pois ela parece uma estranha para você, pense se você não foi rápido demais. E na ânsia de amar, se enganou.

Afinal, toda semente demora para germinar e se tornar uma fruta, então por que com a semente do amor seria diferente?

Aproveite e analise se houve pressa, se as reclamações dela têm fundamento, se as suas têm, se seus hábitos realmente são nocivos tanto a você quanto para a outra pessoa, e então será para o relacionamento, ou se o que ela está reclamando é algo nocivo apenas para ela. E ela quer moldar você para o prazer dela. Então saberá se ela gosta de você mesmo, ou não. E se você gosta dela mesmo, ou não.

Se uma pessoa reclama de seus hábitos carinhosamente, sem agredí-lo enquanto comenta, e sem gelar você, pois ignorar alguém também é uma agressão, pare e dê atenção. Quem sabe a pessoa está realmente interessada em apenas arrumar o cantinho de hóspedes junto com você, para que fique ali para sempre?

Você pode ter espinhos que não sabia que tinha porque não caminhava tão próximo de alguém. E livrar-se desses espinhos vai ser bom tanto para você quanto para seu namorado(a)/cônjuge.

Mas se a pessoa não estiver reclamando de suas "características", e sim de algum hábito/comportamento nocivo para ambos, que gerará consequencias ruins para você também, e automaticamente para o relacionamento, e você ver que ela tem razão, pois outras pessoas também já falaram desse seu jeito, inclusive sua família, é porque ela te ama, e quer ver você bem, então livre-se do orgulho, que está na hora de entender que você precisa colocar mãos à obra e arrumar os defeitos em si mesmo. Se quiser ser amado. Se quiser ser querido pelas pessoas em geral.

Mas se ela reclamar de suas caracteristicas, e não de um comportamento, e que ninguém havia reclamado disso, você está sendo apenas um hotel.

E se isso não for o que você pretende, coloque logo um fim nisso. Não se engane. Não vá contra os amigos que tentam alertá-lo, não insista. Essa atitude preservará sua autoestima. E vai fazer com que você não se ocupe com o cara/mulher errado(a). Sejam só amigos e sigam adiante! Há bilhões de outras opções para ambos.

Ao invés de ficar na beira da estrada perdendo tempo lamentando e culpando o outro, entenda que somos todos imperfeitos, aprenda com seus erros, e com os dele, adquira experiência para errar menos da próxima vez, e escolher de novo com mais chance de acertar, vá mais devagar ao invés de arrastar de novo alguém casa adentro na pressa de ser amado(a), evitando assim novos danos e sofrimentos que podem ser evitados.

Sabia que ficar sozinho(a) um tempo é maravilhoso para fazer uma faxina, um balanço? Conhecer-se é o primeiro passo para reconhecer o par ideal.

Somos humanos, vamos mais devagar.

A pressa só serve para nos cegar e fazer escolhar erradas.

2- Preste atenção nos sinais.

Não é porque os beijos cessaram pela metade que você vai se deseperar. Uma vida a dois é preenchida por muito mais que isso.

Pode não haver beijos agora tanto quanto antes por vários motivos, e um deles é o estresse do dia a dia. Que inclusive você espera que o outro note e te ajude a superar. Mas terá que ter sensibilidade e força para fazer o mesmo. Lembre-se que a semente do amor é para ser cultivada por ambos.

É comum que envolvidos com as incontáveis tarefas de sobrevivência nesse planeta, sejamos mais distraídos, cansados, irritadiços, e queiramos nos recolher para não machucar o outro. Isso acontece quando amamos. Ou quando não sabemos lidar com o estresse. Ou quando nos sentimos perdidos por não termos recebido estrutura suficiente. Ou porque fomos mimados. Ou por uma série de fatores.

E todos esses fatores vêm com a pessoa. Por isso que relacionamento tem que ser visto como algo sério. Tudo dá trabalho, até mesmo um maravilhoso Aston, ou Lamborghini, ou tantos outros. Acha que é só montar e desfilar? Não... E os pneus? O IPVA? Uma grande manutenção tem que ser feita para o bichinho andar liso.

Então por que você acha que logo com o amor, um sentimento raríssimo, desejadíssimo, valiosíssimo, iria ser diferente?

Mas quando o amor está presente em ambos, consegue-se ver além do muro e nunca haverá portas fechadas entre ambos. O amor é invencível!! Ele realmente te dá força suficiente para vencer barreiras.

Impressionantemente, ele cria formas de aproximação que ajudarão a dissolver as pedras que vão surgindo pelo caminho, para que elas não fiquem entre vocês.

Mas somente se ele estiver presente.

Portanto, se isso não acontece, é hora de parar para averiguar.

Parar para averiguar não é chegar chutando a porta jogando palavras acusadoras.

É silenciar e se aproximar com calma, para ver se o leão/leoa está com um espinho na pata. Ninguém teria sucesso nessa empreitada se chegasse sem tato.

O amor é respeito.

E é assim que devemos nos aproximar para saber, perguntando, e aguardando a resposta pacientemente, a resposta.

É bom lembrar que nós mesmos não nos conhecemos bem ainda, então é possível que o outro não tenha a resposta na ponta da língua e vai precisar de sua ajuda pra chegar lá, pois muitas vezes o outro também quer saber por que está triste ao invés de super feliz ao seu lado.

Não se esqueça que coisas pequenas parecem enormes para o ser humano.

Não se desespere. Juntos vão conseguir resolver. Se... houver amor.

Vá com calma porque no parquinho também tem montanha russa.

Mas lembre-se que vai passar, se houver a vontade legítima, de continuar.

3 - Admita seus erros, se forem reais

E trabalhe mesmo em suas promessas de mudar.

É comum acreditar que porque "nasceram um para o outro" vocês são perfeitos, mas na verdade, não são.

Ambos têm defeitos simplesmente porque são humanos e precisarão continuar o trabalho individual de melhoria na casa. para o bem próprio e do outro.

Não é assim que se faz quando se recebe uma visita ilustre?

Pois mais ilustre que o amor você não vai conseguir não.

Agora imagine a visita chegando na sua casa com um sorriso lindo e presentes, porque gosta de você, e você dizendo "senta aí", e a cadeira está quebrada, o chão está sujo, o teto faltando telha... Ih... Não vai ficar ninguém.

Ambos podem rir da primeira vez, e isso pode até fazer você pensar que a pessoa te ama incondicionalmente e "apesar de tudo", mas o caso é que só mãe ama assim, portanto, se esse "apesar de tudo" continuar, é só com isso mesmo que você vai ficar, pois a visita vai embora correndo com seu sorriso lindo e tudo.

Sabe por que? Porque ela vai pensar que você não a respeita, não está nem aí pra ela, e não se esforçou por ela, pelo seu bem estar na sua casa.

É assim que funciona.

O outro, que você ama tanto, é uma visita.

Para sempre.

Para sempre você vai estar tendo que manter a casa limpa para essa pessoa se quer que ela more com você, feliz.

Isso é demonstração de respeito.

Não estou dizendo para você se esforçar pra comprar lustres de cristal nem tapetes persas, mas para manter tudo limpo e funcionando.

Só isso.

Isso se chama respeito. E o romantismo tem a raiz aí.

Afinal, não foi o romantismo que acharam tão bom no começo?

E ambos têm que fazer isso o tempo todo um para o outro. E esse trabalho vale à pena. Não queria saber o segredo dos casais felizes?

everton-vila 2.jpg (Foto: Everton Vila)

Agora vamos falar nisso: Romantismo.

Todo mundo gosta, mas tem vergonha de admitir.

Só que isso é o glacê do bolo.

Complementa.

Bolo é o que alimenta. Mas o glacê é que dá o toque de beleza e de sabor.

Pequenos gestos farão toda a diferença na vida do outro e na sua.

Abrir a porta do carro = Eu gosto de cuidar de você. Você é importante para mim.

Preparar um sanduiche = Eu gosto de cuidar de você. Eu me interesso pelo seu bem. Você é importante para mim.

Fazer supresinhas = Eu gosto de você. Você é importante pra mim.

Manter a casa limpa = Eu me interesso pelo seu bem. Você é importante para mim.

Surpresinhas = Eu amo ver você feliz e penso em você o tempo todo.

Elogios = Meu amor por você continua vivo. Você ainda me fascina. Sinto-me apaixonado(a) pro você.

Ouvir = eu gosto de você. Eu me interesso pelo seu bem. Você é importante para mim.

Dizer palavras que declaram o amor = Eu gosto de estar com você. Você é importante pra mim.

Perguntar sobre o outro = Eu quero conhecê-lo para ver se somos compatíveis, pois eu gostaria de continuar com você.

Falar o que incomoda você = Eu gosto de você. Eu me interesso pelo seu bem. Nosso amor é importante pra mim.

Falar sempre com educação = Eu gosto de você. Eu me interesso pelo seu bem. Você é importante para mim.

Ajudar o outro a se melhorar = Eu me interesso pelo seu bem. Você é importante para mim.

Planejar juntos o futuro onde cada um tem sua parte = Eu gosto de viver com você. Eu me interesso pelo nosso bem. Você é importante para mim.

Cumprir combinados = Nosso amor é tão importante pra mim quanto é pra você.

everton-vila.jpg (Foto: Everton Vila)

Mas por que hoje em dia parece estar tudo tão distante disso apesar de tanta liberdade?

A resposta está na pergunta.

A liberdade é para ser usada com sabedoria.

Como tudo dever ser.

O que acontece quando você tem uma fortuna e não a usa com sabedoria?

Só faz besteira sem construir nada que realmente importa!

Assim também é a liberdade.

Os tempos em que vivemos é o mais confortável e livre que alguém nesse mundo já conheceu em épocas passadas.

Mas nós não temos preparação para isso. Nos lambuzamos. E nos lamentamos depois, colocando a culpa em tudo menos em nós mesmos.

As oportunidades que temos de criar novas tendências e profissões, cresceram consideravelmente, mas também a pornografia invadiu tudo com a libertinagem, as vendas aumentaram com a acessibilidade e ofertas demasiadas, os entretenimentos multiplicaram-se, com a nossa intensa e constante busca de só prazer, e por todo o vazio provocado pela falta de amor, o consumo de drogas atingiu índices elevados assim como novos tipos.

A libertinagem que se orignou de uma liberdade sem limites, leia-se sem disciplina, ocasionou o aumento exacerbado da população, o desemprego, a pobreza, o uso de drogas de todos os tipos, inclusive antidepressivos, a marginalidade, o desrespeito à vida onde ela se encontrar, seja no meio humano, animal, vegetal, mineral e até espacial.

Evita-se pensar no respeito, pois pensa-se que respeito é limite. E quem quer limite?

A moda, o usual, é sentir-se apenas com direitos e nunca com deveres.

Não querem restrição de nada, e acesso a tudo.

Mas, o que acontece se você tentar pilotar um avião sem nunca ter aprendido a fazer isso?

E o que acontece se você quiser pilotar do "seu jeito" ignorando as regras de pilotagem?

Da mesma forma está acontecendo com os atos, com as ações em todos os departamentos, nos tempos atuais.

Querem apenas usufruir, fazer o que sentirem vontade, sem medirem consequências. Evitando regras, valores, princípios, que estruturam uma sociedade inteira.

E isso gera o caos.

A realidade cibernética acelerou a destruição do ser humano, pois sem respeito e sem limites, quem pensa no bem do outro?

O ego-ísmo alastrou-se como uma praga, de mãos dadas com a ganância e então o narcisismo se intalou.

Então, o amor, que é nosso alimento espiritual, e que nos leva à evolução exatamente por nos ensinar a respeitar o outro, a si mesmo, a tudo e a Deus sobre tudo, está cada dia mais ausente.

Agora reina o sexo, as musicas com clipes pornográficos e letras imperativas de usufruir direitos e mais direitos. Nunca deveres. Nunca bom senso. Nunca limites. Nunca disciplina de si próprio. Para si, tudo. Não importando nunca o direito do outro.

As mulheres e os homens são instigados à rivalidade. Assim como pretos e brancos. Homos e héteros.

Como vão se amar?

Como cada um vai querer fazer sua parte a favor do "inimigo" que por sua vez só quer atacá-lo, vencê-lo e destruí-lo?

A vaidade chegou para a festa. Corpos desfilam nus e malhados em uma exibição competitiva insaciável. Ao invés de disciplinar-se, as pessoas mantêm-se com seus egos ilimitadas e consomem a si mesmas e produtos para secar a gordura que se adquire sem a disciplina alimentar, afinal isso seria um limite!

Só o conforto e o prazer são buscados. O amor é maravilhoso. Todos o querem. Mas não o trabalho de mantê-lo.

A hora é agora se tornou uma regra. Futuro? O que é isso? Consequências? Desconheço! Não ter tempo a perder tornou-se um ditado. Em direção ao abismo caminha a humanidade.

Dançando, transado, comprando e tirando fotos, segue-se. Afinal, decidiu-se que a vida é uma festa. Então, é preciso manter-se festejando. Sem perder um segundo sequer. Afinal, só quem é bonito e gostoso é que consegue ser amado. E quem não agir assim não é esperto.

Com esse comportamento, não há lugar para o amor.

No entanto, não somos robôs. Os robôs vivem sem sentimentos. Nós não. Ninguém pode viver sem ele.

Por mais que queiramos ignorar nossos sentimentos, não é possível. Sem sentimentos seríamos monstros piores que o mais selvagem dos animais.

Não podemos viver sem amor.

Sexo, beleza, drogas, dinheiro, não substituem o amor.

Ele é nosso alimento espíritual. Ele representa Deus que é sua origem.

Como viver sem Deus? Impossível.

Então, o consumo de tudo, na busca desenfreada de suprir essa fome de amor, devasta cada um por baixo de suas maquiagens, ternos, carros, sorrisos e corpos esculpidos.

Amar exige tempo, trabalho, boa vontade, respeito pelo outro, e essas são, absolutamente, caracteristicas que estão ficando cada vez mais para trás.

Menos do que reles animais, estamos trocando o amor por vaidade, exibicionismo, competitividade fútil, autoadoração, sexo.

Mas o que conseguimos é agir como crianças tolas, fúteis e mimadas, nos mantendo distraídos com os doces digitais.

Além de aumentar a população mundial.

É preciso levantar a cabeça da tela super iluminada, que nos atrai como mosquitos, e olhar para os olhos, que são capazes de iluminar você inteiro com a luz do amor que somos capazes de cultivar em nós.

É preciso arregaçar as mangas e trabalhar me nós mesmos. É preciso amadurecer. É preciso "aprender a lição que já sabemos de cor", é "preciso amar as pessoas", é preciso parar esse movimento frenético de "tirar vantagem de tudo", é preciso respeitar, desacelerar, olhar em volta e adiante, é preciso medir os atos, é preciso medir as palavras, a liberdade, o dinheiro, as compras. É preciso compartilhar amor e não sexo. Afinal, somos pessoas, e devemos agir como tais.

Amor é respeito

Sem essa mudança de hábitos, a passagem de um ano para outro será apenas estouro de lindos fogos, e a simples abertura de uma garrafa de champanhe que está cada dia mais insuficiente para nos manter embriagados para viver a vida que parece sem sentido sem o amor.

É preciso apenas mudar os hábitos, e voltar à simplicidade de ser apenas humanos. Afinal, é o que ainda somos.

E então, amando, evoluiremos.

E a felicidade que tanto procuramos e almejamos?

Somente no amor ela está. AME. Tudo. Respeite. Se tiver amor e respeito em si, então em si estará a felicidade.

Ela está somente no amor do qual sentimos sofrida falta, e pelo qual ansiamos tanto. Ela não está em celulares, computadores, drones, carros, aviões, aplicativos, internet, naves, outros planetas.

Ela deve estar em si mesmo. Como o amor deve estar.

Pois o amor é Deus.

nic-co-uk-nic.jpg (Foto: photo-nic.co.uk)


Gilsara Mattos

Gilsara Mattos é escritora, roteirista, palestrante, publicitária e empresária. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Gilsara Mattos
Site Meter