Gilsara Mattos

Gilsara Mattos é autora de livros e roteiros para cinema. Palestrante, Publicitária.

A polêmica frase guedeana

Há mais pobres que ricos, e por isso, unidos podemos resolver o que esperamos que os ricos resolvam sozinhos.


céu.jpg

Pessoal,

É preciso entender que político não é publicitário.

Então, não vão elaborar um texto da forma que deve ser feito, para ser direcionado a um público específico, quando são espontâneos como o Bolsonaro.

E os políticos que estão trabalhando no momento com o Bolsonaro, são super sinceros, como no caso do Guedes, que falou a frase que originou este artigo.

Eles tratam os Brasilenãos como amigos e não como liderados.

Desta forma, ficam a vontade pra falar.

É melhor que fazer jogo político, na minha opinião.

Contudo, nem todos entendem a linguagem deles.

Aqueles que focam o Governo como super herói, e sempre se sentem vítimas, se sentirão ofendidos.

Vivo dizendo para ajudarmos uns aos outros. Pra comprar comida a mais, e doar pra quem pede naporta do mercado. Seja o que for.

Não é só milionário que tem condição de ajudar.

Cada um que ajude na proporção que puder.

Brasileiros, muitos, são ainda infantis.

É preciso crescer.

É preciso entender a Lei de ajudar o próximo. Não carregá-lo nas costas. Mas ajudar sempre.

"Dar o resto para os pobres" é uma boa forma de falar de forma clara, para quem tem condições e não pratica caridade.

É uma boa sacudida moral.

Vamos parar de brigar.

Vamos baixar os punhos contra o outro e dar as mãos.

Nossos inimigos são a fome, a indiferença, a frieza, a falta de roupas, a falta de solidariedade. E não o atual Governo.

Eu tinha um restaurante e fazia marmitex pra mendigo, da comida da mesa, para espanto dos funcionários, que diziam nunca terem visto isso, pois outros patrões tiravam comida do lixo pra doar, e olhe lá.

Isso causou espanto em mim!!

Quando eu tomava café da manhã na lanchonete, de frente para o mar, e via alguém revirando a lixeira em busca de algo pra comer, eu mandava fazer um lanche igual pra pessoa.

Isso é o que eu acho normal.

Eu tenho dito para hortifrutis colocarem verduras, etc, que não vendem, em uma bancada na porta, com uma placa escrito "grátis", mas quem ouve? E ainda me acham chata.

Continuo insistindo assim mesmo.

Pobre não é fofo porque é pobre. Poucos ajudam.

Pobre é todo mundo que precisa de dinheiro para comprar o básico. E não apenas o mendigo.

Precisamos usar a criatividade e a boa vontade para ajudar uns aos outros.

Uma ideia como a que eu insisto para os hortifrutis, ajudaria muito, se fizessem.

Governo não é pai, é funcionário.

Você, como patrão, é que tem obrigação de enviar soluções pra ele.

Reclamar é fácil pra quem acha ajudar dificil.

Aprenda a ajudar e veja como vai conseguir fácil. 😉 Ver menos Comentários

Pessoal,

É preciso entender que político não é publicitário.

Então, não vão elaborar um texto da forma que deve ser feito, para ser direcionado a um público específico.

E os políticos que estão trabalhando no momento são super sinceros.

Eles tratam o Brasileiro como amigo e não como liderado.

Desta forma, ficam a vontade pra falar.

É melhor que fazer jogo, na minha opinião.

Contudo, nem todos entendem a linguagem deles.

Aqueles que focam o Governo como super herói, e sempre se sentem vítimas, se sentirão ofendidos.

Vivo dizendo para ajudarmos uns aos outros. Pra comprar comida a mais, e doar pra quem pede naporta do mercado. Seja o que for.

Não é só milionário que tem condição de ajudar.

Cada um que ajude na proporção que puder.

Brasileiros, muitos, são ainda infantis.

É preciso crescer.

É preciso entender a Lei de ajudar o próximo. Não carregá-lo nas costas. Mas ajudar sempre.

"Dar o resto para os pobres" é uma boa forma de falar de forma clara, para quem tem condições e não pratica caridade.

É uma boa sacudida moral.

Vamos parar de brigar.

Vamos baixar os punhos contra o outro e dar as mãos.

Nossos inimigos são a fome, a indiferença, a frieza, a falta de roupas, a falta de solidariedade. E não o atual Governo.

Eu tinha um restaurante e fazia marmitex pra mendigo, da comida da mesa, para espanto dos funcionários, que diziam nunca terem visto isso, pois outros patrões tiravam comida do lixo pra doar, e olhe lá.

Isso causou espanto em mim!!

Quando eu tomava café da manhã na lanchonete, de frente para o mar, e via alguém revirando a lixeira em busca de algo pra comer, eu mandava fazer um lanche igual pra pessoa.

Isso é o que eu acho normal.

Eu tenho dito para hortifrutis colocarem verduras, etc, que não vendem, em uma bancada na porta, com uma placa escrito "grátis", mas quem ouve? E ainda me acham chata.

Continuo insistindo assim mesmo.

Pobre não é fofo porque é pobre. Poucos ajudam.

Pobre é todo mundo que precisa de dinheiro para comprar o básico. E não apenas o mendigo.

Precisamos usar a criatividade e a boa vontade para ajudar uns aos outros.

Uma ideia como a que eu insisto para os hortifrutis, ajudaria muito, se fizessem.

Governo não é pai, é funcionário.

Você, como patrão, é que tem obrigação de enviar soluções pra ele.

Reclamar é fácil pra quem acha ajudar dificil.

Aprenda a ajudar e veja como vai conseguir fácil.

Quanto mais você colocar responsabilidades nos ombros do Governo, para ter menos, mais ele vai ter autonomia para mandar no mundo e em você. Se ele for composto por pessoas sem ética, o país vai ser feliz?

Assista os vídeos:

Como ricos podem se sentir ricos.

Como transformar pobreza em riqueza.


Gilsara Mattos

Gilsara Mattos é autora de livros e roteiros para cinema. Palestrante, Publicitária. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// //Gilsara Mattos