toda prosa

e talvez um pouco de poesia

Lia Bianchini

Tentando sobreviver ao tempo, esse mesmo, que destrói tudo.

O mal do século

Contando sobre os nossos dias...


Edward Hopper - City Sunlight, 1954. óleo s tela.jpg

Malu acordou com o arder do sol a incomodar-lhe o rosto. Pegou o relógio, já passava do meio-dia. Não costumava acordar a essa hora, mas como era seu dia livre, não preocupou-se. Foi até a cozinha, serviu-se de algumas bolachas que estavam sobre a mesa e de um pouco de café requentado. Olhou algumas revistas, alguns livros que há tempos queria ler. Entediou-se. Na sala, ligou a televisão, assistiu ao programa que estava passando. Não gostou. Mudou de canal várias vezes, parando por poucos minutos em algum e mudando novamente. Entediou-se. Foi tomar um banho, precisava refrescar-se. Olhou a água cair do chuveiro, escorrer pelo ralo. Olhou seu dia passar, a lua surgir no céu já quase escuro.

À noite, assim como durante o dia, Malu não teria nada para fazer. Mais uma vez entediou-se e entediou-se. Foi até seu computador, leu alguns sites que lhe interessavam. Resolveu entrar em um chat. “Conheceu” pessoas de diferentes lugares do país. Pessoas com as quais ela jamais imaginara conversar. Com algumas, conversou rapidamente, pois julgou não ter gostos em comum, não serem compatíveis. Com outras, a conversa fluiu, até o ponto de Malu ter certeza de que tinha ganho novos amigos.

Enquanto a noite passava, Malu continuava ali, em frente ao computador. Há tempos não dizia tanto a alguém. Na verdade, nunca contou tanto de sua vida a pessoas que acabara de conhecer. E, estranhamente, sentia-se confortável em fazer isso. Sentia como se aquelas pessoas a conhecessem desde sua infância.

Com a madrugada já indo embora e o sol quase nascendo novamente, Malu decidiu que já era tarde demais. Era hora de despedir-se dos “novos amigos”. Marcou outras conversas, leu alguns “adorei te conhecer”, “adorei conversar com você” e “adorei você”. Desligou o computador com um sorriso no rosto. Ficou ali, parada, por alguns instantes. Olhou à sua volta, com o sorriso indo embora. Mais uma vez, tudo o que tinha era solidão.

*Imagem: Edward Hopper - City Sunlight, 1954. óleo s/ tela


Lia Bianchini

Tentando sobreviver ao tempo, esse mesmo, que destrói tudo..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Lia Bianchini