Carlos Eduardo

Ser humano de '89 que viu no desenho uma forma de se expressar quando não encontrava palavras, que viu na fotografia uma forma de mostrar o que só ele via e que viu nas palavras uma forma de justificar sua insanidade cotidiana.

O dia que segui as migalhas do Rock e parei na Noruega

De um sábado a noite despretensioso para um alívio musical. O dia que uma banda saiu da Noruega para o interior de São Paulo salvar o Rock.


Bigbang5.jpg

Era uma noite qualquer de mais um sábado. Eu saíra para encontrar um amigo, tomar umas cervejas e ouvir um show de 1 hora no Sesc de minha cidade. Não fazia a menor ideia de quem, ou o que se apresentaria naquela noite. Lembro-me que fazíamos (e ainda fazemos) isso para nos surpreender, simplesmente para não julgar o trabalho do artista sem antes vê-lo com nossos próprios olhos.

Houve dias que a surpresa foi positiva, naturalmente em outros nem tanto. E foi naquela noite que me deparei com um Power Trio. Particularmente acredito que há uma mística por trás das bandas nessa formação, algo que as diferencia não só pela quantidade de pessoas, mas algo que eleva a sonoridade daqueles três no palco ao ponto de você indagar-se de que - Não pode ser que todo esse som venha apenas desses três! - Alguns exemplos que comprovam minha teoria: The Jimi Hendrix Experience, Rush, Nirvana, The Police, e por ai vai...

The-Jimi-Hemdrix-Experience.jpgThe Jimi Hendrix Experience

A banda que encheu-me os olhos naquela noite chama-se Bigbang. Mas cuidado, há uma banda sul coreana com o mesmo nome, a nossa banda em questão vem da Noruega. Formada em 1992, a banda sofreu diversas mudanças no trio, permanecendo apenas um membro original, o fundador e vocalista Øystein Greni. Mas o que faz uma banda de "rock" nos dias de hoje se diferenciar das tantas outras que já vimos passar? Acredito que uma das respostas para isso seja: a ESSÊNCIA e as RAÍZES da mesma.

bigbang1.jpg Øystein Greni

A banda possuí uma sonoridade que resgata o rock em uma das suas maiores amplitudes, com influências de nomes conhecidos como Ray Charles, Led Zepellin, entre outros gênios das décadas de 60 e 70. Com toda essa bagagem correndo nas veias, a banda atentasse em construir e compartilhar uma sonoridade atual, com composições que refletem o nosso dia a dia.

De músicas de extrema energia...

...a melodias suaves,

de guitarras incontroláveis...

...a instrumentos carregados de sentimento e paz.

Não há limites para se contar uma história e é dessa maneira que a banda trilha seu caminho chegando a 8 álbuns gravados em estúdio e um DVD. A banda já realizou duas turnês pelo Brasil, sempre visitando os grandes centros e principalmente o interior de São Paulo. A receptividade sempre é muito boa tanto por parte do público, quanto por parte dos europeus. Acredito que ambos os lados estavam carentes, um de um público vibrante e o outro de MÚSICA!

Maiores Informações:


Carlos Eduardo

Ser humano de '89 que viu no desenho uma forma de se expressar quando não encontrava palavras, que viu na fotografia uma forma de mostrar o que só ele via e que viu nas palavras uma forma de justificar sua insanidade cotidiana..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/musica// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Carlos Eduardo