variando

Visões diferentes para um mesmo mundo

Murilo Trevisan

Patriotismo é inimigo da mente moderna

Em um mundo globalizado é quase impossível se manter fechado no contexto de seu próprio país. Por esse motivo que a pessoa que se considera moderna e de mente aberta não deve se prender aos ideais do patriotismo.


patriotismo.jpg

O patriotismo é o grande inimigo da pessoa moderna e de mente aberta para o mundo. São essas pessoas que não podem se deixar levar pelos ideais patriotas e se prenderem em um mundo voltado para a idolatria e o amor à pátria. Respeito é o que temos que ter com o nosso país e com seus símbolos, mas não podemos deixar que esses símbolos tornem-se alvo de adoração exagerada.

Não vou citar só o Brasil como uma nação muito patriota, temos vários outros exemplos espalhados pelo mundo como o caso dos Estados Unidos e de vários países da Europa. Mas o grande problema do brasileiro é que esse amor exagerado e essa suposta “superioridade” do país acabam desviando o olhar de coisas boas que acabam vindo de fora.

A Copa do Mundo foi um exemplo claro de patriotismo maquiado e totalmente temporário por parte dos brasileiros. Foi quando toda a população que protestou com o famoso “Não vai ter Copa” se rendeu aos encantos do futebol e pintou a cara de verde e amarelo para torcer pelo Brasil.

O famoso “patriota Copa do Mundo” durou pouco. Bastou a derrota da seleção no fatídico 7 a 1 para a Alemanha que o torcedor já voltou a xingar a Copa, a organização, a presidência da república, a mãe do juiz e todos que via pela frente. O esporte acaba provocando isso nas pessoas, mas o problema é que não sabemos diferenciar o que é aceitável daquilo que é exagerado.

Voltando ao tópico da mente aberta, muitas pessoas que nunca estiveram fora do Brasil criticam veementemente outras culturas sem o menor conhecimento, como se fosse o maior crime do mundo admirar outra cultura. Isso é definido como medo do conhecimento, ou no caso, do desconhecido.

2622808331_1b7981f2d2.jpg

Medo de ter que se render aos costumes de outros povos. Medo de ter que se render e admitir que tal sociedade foi, ou é, mais desenvolvida que a dele. E essa pessoa patriota com fervor acaba influenciando outras que passam a deplorar culturas e sociedades diferentes simplesmente pelo fato de não conhecerem.

Para pessoas modernas não existe coisa melhor que o conhecimento e a admiração seja por quem for. O conhecimento é algo que falta na vida de muita gente, principalmente dos preconceituosos e de mente fechada e antiquada. É claro que essas características variam de acordo com a criação que o indivíduo teve durante seu desenvolvimento como pessoa. Mas para se viver em um mundo tão globalizado e tão atual, temos que nos adaptar.

A xenofobia (preconceito ou medo de estrangeiros) é praticada pelos patriotas de mente fechada, que com medo de sua nação ser “contaminada” por pessoas de diferentes culturas, acabam promovendo esse ato racista e preconceituoso contra quem quer que seja de fora. Casos de xenofobia são muito comuns na Europa, onde o patriotismo se torna ufanismo em alguns países.

Mentes patriotas e seus ideais são um problema em uma sociedade tão aberta para o conhecimento de coisas novas. Hoje em dia as pessoas têm direitos de escolha. Escolha da roupa que vai vestir, escolha de voto, do time que vai torcer, do ídolo que vai admirar. Nenhuma dessas convicções pessoais podem ser alteradas ou criticadas por alguém que não consiga visualizar a globalização que vivemos.

Por esse e outros motivos que é sempre importante deixar claro que o patriotismo, e os patriotas e ufanistas, sempre serão inimigos em um caminho pela liberdade de se expressar em favor de outra cultura e do seu conhecimento. E principalmente, inimigos de uma sociedade que tenta cada vez mais se modernizar.

Como já disse Bernard Shaw : “Patriotismo é a pior forma de idiotice”

Foto > http://migutos.blogspot.com.br/2010_06_01_archive.html


version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Murilo Trevisan