variando

Visões diferentes para um mesmo mundo

Murilo Trevisan

“Sweatshop”: quando a escravidão é desconhecida

Reality show norueguês mostra realidade da industria têxtil. O reality reúne três blogueiros de moda que foram ver de perto a situação vivida pelos trabalhadores no Camboja.


3.jpg

Até que ponto chega a exploração humana nos dias atuais? Em um mundo tão desenvolvido vemos cada vez mais uma mão de obra explorada pelas grandes indústrias do comércio. A China é o exemplo mais conhecido quando falamos de exploração trabalhista, cidadãos – sejam crianças ou idosos – trabalham cerca de 18 horas por dia em fábrica de aparelhos eletrônicos.

Em “Sweatshop – Dead Cheap Fashion” reality show produzido na Noruega, vemos a interessante união entre o mundo desenvolvido presente na Noruega e as situações precárias dos trabalhadores da industria têxtil no Camboja. E para deixar o reality ainda mais interessante foram adicionados três blogueiros de moda noruegueses que viveram na pele a rotina de escravidão dos trabalhadores.

blogueiros.jpg

A série tem cinco episódios e reuniu os blogueiros Anniken Jorgensen, Frida Ottensen e Ludvig Hambro. Os participantes ficaram hospedados na casa de Sokty uma trabalhadora de 25 anos que ganha 130 dólares por mês trabalhando durante 12 horas, sete dias por semana. Desses 130 dólares, Sokty gasta 50 com aluguel, água e energia e mora em uma casa minúscula.

Não é raro ver notícias sobre trabalho escravo na industria têxtil. Não precisamos ir muito longe. São Paulo abriga várias fábricas ilegais de costura e empregam geralmente bolivianos e haitianos que vieram para o Brasil em busca de refúgio. Mais recentemente tivemos algumas marcas brasileiras envolvidas em escândalos como esse.

2.jpg

O mais interessante do reality norueguês é o grande choque de realidade. Os três blogueiros se apresentam assumidamente como consumistas e após a experiência no Camboja mudam completamente sua visão sobre consumo e dinheiro.

Consumo esse que atualmente se mostra cada vez mais descontrolado. Exemplo claro da ansiedade de gastar que toma conta da sociedade atual. Muitos comprar peças de roupas que sequer usam, o famoso “comprar por comprar.”

4.jpg

A série está disponível nesse link em norueguês com legendas em inglês, são cinco episódios de curta duração, vale a pena conferir para refletirmos sobre o mundo globalizado e consumista em que vivemos e para principalmente dar valor às pequenas coisas da vida.


version 4/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Murilo Trevisan