venturarte

O espaço da arte jogada ao acaso

Camila Agner

Camila, do Sul do Brasil, estudante de Direito e Jornalismo. Apaixonada pela arte e encarregada de uma missão: espalhá-la aos 4 cantos do mundo através da escrita.

High Glitz e o universo das pequenas misses

A ideia de ver uma menina de 4 anos com unhas postiças, bronzeamento artificial e próteses dentárias é algo muito distante pra você? Pois essa é a realidade de várias crianças ao redor do mundo que participam dos famosos "concursos de beleza". Ali a beleza não tem idade e mesmo as mais "caçulas" são submetidas a rigorosos tratamentos de beleza! O projeto High Glitz, criado por Susan Anderson, retrata o cotidiano das crianças que concorrem aos títulos de pequenas misses.


hg1.jpg

Maquiagens, roupas de grifes, sapatos extravagantes, cabelos bem arrumados e corpos bem alinhados. É disso que os concursos de beleza são compostos, mas além desses elementos, também existem pessoas e animais que se colocam aos olhos de juízes para disputar os títulos de mais belos, mais elegantes e outros diversas categorias que “hierarquizam” os candidatos e candidatas.

No Brasil, os concursos mais comuns envolvem mulheres e homens que disputam os seus títulos para chegarem até o concurso mais requisitado do mundo: o miss/mister universo. Na maior parte das vezes, as pessoas que participam desses eventos são maiores de idade, mas também existem aqueles que prestigiam a beleza das crianças! Embora não muito comuns no Brasil, eles tem ganhado espaço e parecem ter potencial pra serem semelhantes aos concursos de beleza mirim promovidos na América do Norte.

Quando uma menina se torna parte desses concursos de beleza nos EUA, por exemplo, ela não disputa colocando em “votação” as suas qualidades e defeitos. Isso porque as crianças passam por horas de tratamentos de beleza que envolvem depilação nas pernas, bronzeamento artificial, unhas e cílios postiços, apliques nos cabelos, uso de grandes saltos e mais algumas horas em dentistas que fazem as famosas próteses de porcelana nos dentes (para que fiquem mais longos e menos infantis).

Nesse processo, enquanto as mães estão saltitando pelos salões e cobrando muito das suas filhas para que as mesmas vençam os concursos, as crianças crescem num ambiente rodeado de artificialidade e futilidade. Por conta disso, alguns órgãos já tentaram “proteger” as crianças desse distanciamento de uma infância normal, mas como os eventos arrecadam muito dinheiro, eles acabaram permitindo a realização desses concursos.

Querendo retratar todo esse mundo das pequenas misses, a fotógrafa Susan Anderson criou o projeto “High Glitz”. Nele, a artista tira fotografias das meninas depois delas já estarem prontas para subirem nas passarelas e desfilarem, dançarem e mostrarem os seus talentos (já que nesses concursos, os talentos das crianças também são avaliados). O trabalho de Susan não mostra apenas o rostinho de diversas meninas que se sujeitam à avaliações rigorosas nesses eventos, mas também o vazio e a existência de um verdadeiro mundo paralelo onde as crianças viram verdadeiras bonecas dos seus pais (visto que são eles que dão os primeiros passos para que as crianças participem dos concursos de beleza, visando dinheiro e fama).

hg2.jpg

hg3.jpg

hg4.jpg

hg5.jpg

E você... O que acha sobre esse universo das pequenas misses? Dê as suas opiniões nos comentários e não deixe de curtir a página do Blog Venturarte no facebook. Lá você ficará a par das atualizações em tempo real (ou quase isso).


Camila Agner

Camila, do Sul do Brasil, estudante de Direito e Jornalismo. Apaixonada pela arte e encarregada de uma missão: espalhá-la aos 4 cantos do mundo através da escrita. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @destaque, @obvious //Camila Agner