vida alternativa

O mundo visto por um gato zarolho

Vasco Neves

Sento-me em frente ao mar, e a ele digo-lhe tudo aquilo que a ti não consigo...

Amar (também) é deixar partir

Quem parte e reparte fica sempre com a melhor parte, mas no amor por vezes têm de ser tudo ou nada, e por vezes o nada pode ser mais gratificante que o tudo.


frasco.jpg

Finalmente encontrei-o. Após tanto tempo de procura, noites perdidas e dias mal passados, consegui de uma vez por todas apanhá-lo. De forma alguma o tencionava deixar partir, agora era meu, finalmente tinha encontrado o AMOR. Foi algo procurado por tanto tempo, foi aplicada toda a minha vontade, toda a minha dedicação e bastante esforço. Não o podia perder, nem pensar nisso, nunca o deixaria partir. Tomei então a decisão mais acertada (pensava eu), disse para mim mesmo “-Vou colocá-lo num frasco, assim poderá estar sempre junto a mim!”

Tirei a inspiração de uma música, falava sobre como guardar o AMOR num frasco, fechá-lo bem para não fugir. Quando o coloquei no frasco, ele era viçoso e muito radiante. Todos os dias olhava o meu AMOR dentro do frasco, e ele enchia-me o coração. Não sei o que era, talvez uma aura mágica à sua volta, que me entrava pelos poros da pele, deixando-me quase em êxtase. Os dias passavam e o meu AMOR tornava-se cada vez menos radiante, cada vez menos intenso...não percebia o porquê...mas o meu coração já não se enchia tão facilmente. Pensei e chorei, pensei novamente e voltei novamente a chorar. A muito custo decidi abrir o frasco. Doía-me o coração, estava apertado e a angústia invadia-me o peito. Havia chegado a hora. Não quero, não quero... Teria de deixar partir o AMOR. No exacto momento em que abri o frasco, o meu coração subitamente encheu-se de AMOR, um AMOR mais forte, mais radiante, puro e brilhante. Todo o meu corpo vibrou, eu sorria enquanto o via partir, transformado em pequenas pétalas de rosas. Antes de o deixar de ver, o vento acariciou-me a parte de trás do pescoço, e sussurrou-me baixinho aos ouvidos..."Amar (também) é deixar partir"


Vasco Neves

Sento-me em frente ao mar, e a ele digo-lhe tudo aquilo que a ti não consigo....
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/geral// //Vasco Neves