vide verso

Porque a vida sempre tem o outro lado

Laura Gillon

O segredo é fechar os olhos, deixar o mistério ser a bússola mais fiel e, pelas trilhas, aprender — sempre! — a (d)escrever

Rain... bow

O gesto mais sublime e simples, quando menos se espera.


rainbow.jpg

Chovia absurdamente. Eu, descendo a rua ensopada, porque, afinal, guarda-chuva foi feito para ser esquecido num canto.

Parei no semáforo da Teodoro Sampaio com a Lisboa, fechado para os pedestres. Chovia. Chovia um descalabro. Ao meu lado, uma moça que não esqueceu o guarda-chuva num canto. O semáforo nunca mais abriria para os pedestres do lado de cá, eu quase poderia jurar.

E como a vida sempre surpreende, a moça deu um passo para o lado. Para o meu lado. E o guarda-chuva dela me alcançou. Por alguns segundos, fiquei ali, coberta, presenteada por um gesto assim, simples, sem ter pedido nada. Ela chegou, viu, tomou a atitude e só. Dividiu comigo a proteção. O semáforo abriu para nós e como eu estava com pressa, agradeci com um sorriso totalmente sincero e disparei. Eu fui, mas o gesto da moça ficou.

Entendi que quando a gente menos espera, alguém estende o guarda-chuva. Ou a gente estende para alguém.


Laura Gillon

O segredo é fechar os olhos, deixar o mistério ser a bússola mais fiel e, pelas trilhas, aprender — sempre! — a (d)escrever.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// //Laura Gillon