vide verso

Porque a vida sempre tem o outro lado

Laura Gillon

O segredo é fechar os olhos, deixar o mistério ser a bússola mais fiel e, pelas trilhas, aprender — sempre! — a (d)escrever

Feliz Dia dos "Na Teoria" Namorados

Apaixone-se, antes de qualquer coisa, por você. Depois a gente conversa sobre o outro. E... feliz dia dos (e)namorados!


11. Arya, Braj Mohan - Nature With Lovers III.jpg (Arya, Braj Mohan - Nature With Lovers III)

Em tempos de discursos difíceis, coxas bonitas e palavras banais, parei para pensar no Dia dos "Na Teoria" Namorados e fiquei muito feliz com a mulher que mora em mim. Ela é insegura, verdade, meio atrapalhada, mas intensa. Linda. E fiel. Ao que sente, antes de mais nada.

Fiquei emocionada com a mulher que habita minhas entranhas, porque ela é genuína, assim, não só peitos e bunda, coxas, olheiras e rugas. Mais do que isso, ela é genuína alma. E alma, sinto informar, não se engana. Nunca.

Cônscia dos desencontros e dos sustos que o puto do amor prega no meio da noite, na ponta da praia, no fim de uma reunião interminavelmente chata. Cônscia, enfim, de que de nada adianta ter tal experiência, porque quando o tufão chegar, ela nada poderá fazer para impedir que ele exploda; que, na verdade, floresça.

Essa mulher charmosa que mora em mim me deixa muito orgulhosa das tantas lágrimas e noites insones, do descontrole das mãos, do não saber o que fazer com o olhar.

A moça voluptuosa que fixou residência no meu eu é, lá no fundo das alamedas do seu sorriso envergonhado, atrevida, mas só quando deve e com quem deve. É, entretanto, menina tímida diante do homem dos seus sonhos. Por isso ela o sabe próximo: pelo ataque de pavor que sobe pelos seus calcanhares e dilacera seu corpo até chegar aos olhos.

O que mais me orgulha nessa mulher que mora em mim é o que a apaixona, o que mexe com suas estruturas. Ela pode ser conquistada com um olhar simplérrimo, totalmente banal, daqueles que um homem joga no ar às 7 da manhã antes de ir para o futebol. Ela treme dos pés à cabeça com um gesto, uma frase. Basta que nasçam naquele momento certo para dar o seu recado. E para que a coisa seja cirurgicamente precisa, é preciso somente espontaneidade. Só. Ela ama a espontaneidade e a chuva, além das estrelas-do-mar. Ela ama, ainda, beijos longos e danças encantadas, mesmo sem música.

Apaixona-se perdidamente pelo homem de mente simples, mas verdadeira; alguém capaz de gargalhar no meio da rua em plena segunda-feira. Esse homem precisa entender a criança que mora dentro da mulher que mora dentro dela. E ela só sai da toca quando sente o seu perfume. Perfume-corpo mesmo, aroma delicioso de almas afins.

Ah, é uma pena, isso não acontece com muita frequência porque quando acontece, a-con-te-ce mesmo. E demora a desacontecer.

Essa mulher bonita que eu sou por dentro deveria passear mais pela minha superfície às vezes tão tristonha e pesada, contaminada pelo cinza do trânsito e das contas a pagar.

O mais incrível é que agora aprendi a chamar por ela. Minha voz silenciosa é firme e confiante. Ela sai da toca e vem conversar comigo, me dizer para submergir. Vamos ver por quanto tempo ela toma conta de mim. Espero, para sempre.

Feliz Dia dos "Na Prática" Namorados para quem realmente pratica o que sente.


Laura Gillon

O segredo é fechar os olhos, deixar o mistério ser a bússola mais fiel e, pelas trilhas, aprender — sempre! — a (d)escrever.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Laura Gillon