O hino atemporal de Dylan

Lançada em 1963, Blowin’ in the Wind continua sendo uma das mais famosas e importantes canções-protesto da história


Bob Dylan.jpg

Bob Dylan nunca foi considerado unanimemente um bom cantor. Ele é quase fanho, bastante rouco e tem algumas limitações em relação ao volume de sua voz. Contudo, é indiscutivelmente um dos maiores letristas de todos os tempos.

É muito tênue a linha que separa as suas composições de poemas, tanto no que se refere à estrutura quanto aos conteúdos e temáticas. Analisar a vasta obra de Dylan em um texto seria praticamente um pecado diante da grandeza de seu trabalho.

É mais prudente, portanto, escolher apenas uma entre tantas obras-primas. Blowin’ in the Wind, de 1963, aparece como a opção mais óbvia. Além de ser um dos maiores sucessos do músico, é uma de suas letras mais envolventes. Prova disso é que se tornou um hino para diversos movimentos, como o hippie e a luta pelos direitos civis nos Estados Unidos.

Blowin’ in the Wind é simples, mas complexa; é específica, mas abrangente; é precisa, mas atemporal; é triste, mas carrega uma doce esperança a qual todos têm que se agarrar.

As perguntas feitas por Dylan ao longo da música, como "Quantas balas de canhão precisarão voar até serem para sempre banidas?" e "Quantas orelhas um homem precisará ter, antes que ele possa ouvir as pessoas chorar?", são retóricas. Mas não são classificadas desta forma porque simplesmente não necessitam de uma resposta, mas sim porque a resposta ainda parece impossível.

Bob Dylan_2.jpg

No refrão, o músico canta “A resposta, meu amigo, está soprando ao vento”, mas para ouvi-la é necessário ter muita sensibilidade, o que está parecendo, com o passar dos anos, mais distante e irreal para nós, humanos, demasiados humanos.

As armas continuam disparando e as pessoas ainda não são livres. Tudo parece perturbador e difícil de se resolver, mas talvez a questão não seja assim tão complexa. Afinal, a resposta, meu amigo, continua soprando no vento.

Bob Dylan_3.jpg

Blowin' In The Wind (Letra)

How many roads must a man walk down Before you can call him a man? How many seas must a white dove sail Before she sleeps in the sand? Yes, and how many times must cannonballs fly Before they're forever banned? The answer, my friend, is blowin' in the wind The answer is blowin' in the wind

Yes, and how many years can a mountain exist Before it's washed to the seas (sea) Yes, and how many years can some people exist Before they're allowed to be free? Yes, and how many times can a man turn his head And pretend that he just doesn't see? The answer, my friend, is blowin' in the wind The answer is blowin' in the wind

Yes, and how many times must a man look up Before he can see the sky? Yes, and how many ears must one man have Before he can hear people cry? Yes, and how many deaths will it take till he knows That too many people have died? The answer, my friend, is blowin' in the wind The answer is blowin' in the wind

Blowin' In The Wind (Tradução)

Quantas estradas um homem deve percorrer Pra poder ser chamado de homem? Quantos oceanos uma pomba branca deve navegar Pra poder dormir na areia? Sim e quantas vezes as balas de canhão devem voar Antes de serem banidas pra sempre? A resposta, meu amigo, está soprando no vento A resposta está soprando no vento

Sim e por quantos anos uma montanha pode existir Antes de ser lavada pelos oceanos? Sim e por quantos anos algumas pessoas devem existir Antes de poderem ser livres? Sim e quantas vezes um homem pode virar a cabeça Fingir que ele não vê A resposta, meu amigo, está soprando no vento A resposta está soprando no vento

Sim e quantas vezes um homem deve olhar pra cima Antes de conseguir ver o céu? Sim e quantos ouvidos um homem deve ter Pra poder conseguir ouvir as pessoas chorarem? Sim e quantas mortes serão necessárias até ele saber Que pessoas demais morreram? A resposta, meu amigo, está soprando no vento A resposta está soprando no vento


version 1/s/musica// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Bruno Inácio