A contradição da ‘pessoa certa’

Pela bagunça que provoca, a pessoa certa deveria ser a última a receber esse título


10 coisas que eu odeio em você.jpg

Em meio a tantas contradições vivenciadas durante a vida – seja ela de um careta metódico ou de um aventureiro inconsequente – uma das maiores é se deparar com a pessoa certa. Como assim ‘pessoa certa’ se o que ela faz é lhe bagunçar por inteiro? É lhe tirar de seu mundo, lhe puxar pelas mãos e lhe deixar maluco.

A bagunça começa, geralmente, na primeira troca de olhares. Têm-se as reações físicas. O coração acelerado, a dificuldade em falar e a cara de bobo. Mais tarde a bagunça continua. Seus amigos precisam dizer seu nome duas ou três vezes para que responda, fica disperso no trabalho e demora a conseguir dormir.

Acorda no meio da noite com fome, porque se esqueceu até de se alimentar. Comer é um instinto. Como podemos chamar de pessoa certa alguém que faz você deixar de seguir um instinto, mesmo que temporariamente?

Depois vem a loucura. O cara que chamava o Mário Quintana de otário quando tinha que estudá-lo na escola, começa a escrever poemas. Depois ele começa a sentir algo que não existe: uma dor na alma. Para ele, é algo físico. Mas como pode ser algo físico se nem a alma – se é que ela existe – é física?

Às vezes a ‘pessoa certa’ transforma até o gosto musical. O fã de heavy metal que considera até o som do Metallica muito leve, passa a ouvir as baladinhas do Aerosmith ou do Poison.

Depois vêm as viagens decididas de última hora, as mudanças de plano e o atraso no trabalho porque acabaram fazendo sexo na hora do almoço.

Tem ainda o efeito anestesiante. A temperatura é de quarenta graus, as pessoas estão com pressa e estressadas por causa do trabalho. Todo mundo olha para você de cara fechada. Sabe por quê? Basta olhar no espelho. Em meio a toda essa confusão da sociedade contemporânea, você está com aquela maldita cara de ‘bobo alegre’. E por quê? Porque você encontrou a ‘pessoa certa’.

As pessoas podem passar pela sua vida e causar nenhum, pouco ou muito impacto. Mas somente uma – ou quando muito duas ou três – vai lhe bagunçar por completo. E essa pessoa, por mais contraditório que isso seja, é a pessoa certa. E recebe esse nome porque é capaz de lhe tirar do seu mundo e do seu conforto, para construir um novo universo ao seu lado.

Homer e Marge.jpg


version 2/s/artes e ideias// //Bruno Inácio